Confesso que está cada dia mais difícil escrever. Escolho com esmero cada palavra que rabisco e digito, porque hoje em dia ninguém perdoa. E também porque você precisa ter posicionamento, não fique em cima do muro. Mas seu posicionamento precisa ser aceito pela maioria, se não você cai. E também precisa ser convincente, forte. Pense fora da caixa! Mas cuidado para não ficar muito fora dos padrões, se não o público te massacra.
A gente vive buscando por algo maior do que temos – tá, é preciso ter certa ganância, acomodado também não – como fama, sucesso, reconhecimento, trabalhar em uma big empresa, fazer um ‘puta projeto que vai revolucionar as porra das máquina tudo’, ser capa de revista, conseguir o ‘arrasta pra cima’, o prêmio Nobel, o Top of Mind, viver em uma megatrópole, pintar a próxima Monalisa, escrever a próxima saga fantástica.
Todo mundo quer sair daquela cidade pequena, daquela empresa mediana, daquele apartamento alugado. Tudo na busca pelo seu propósito. E o propósito de todo mundo é ser reconhecido mundialmente, ser rico, vender o método que deixou você rico, ter um microfone de lapela, tempo para cuidar dos filhos, ser fitness, mandar as camisas para a lavanderia, fazer Lipo Lad, tirar férias e fazer stories completamente realizado e satisfeito lá em Maragogi. Finish, over, zerou a vida, seu ‘instagramável’ bem sucedido!
Tá, mas e aí por que está difícil de escrever?
Porque foto de biquíni dá mais visualizações e ‘engaja’mais. Porque não prometo nenhuma receita infalível para emagrecer, nem para voltar com o embuste, nem para juntar um milhão de reais até os 30 anos. Ah, esqueci dos métodos para curar todos os males da alma e da mente, amém.
Levanta a mão aqui quem quer vencer por seu próprio esforço, evoluindo dia após dia como pessoa? Quem não quer morar fora do Brasil, porque aqui não presta; quem não quer vender a mãe nas redes sociais ou a irmã, pode ser também. Quem não quer ter uma grande ideia e ser reconhecido por isso em apenas 4 aulas totalmente gratuitas é só se inscrever aqui?
E a gente ouve nas redes sociais que não é para acreditar em tudo que a gente vê, que não é pra gente se comparar, que devemos amar nosso corpo porque é o nosso templo, que a vida real é em off…MAS QUEM É QUE NÃO QUER MORAR LÁ NA PORRA DO INSTAGRAM? Todo mundo trabalhando com o que ama, pedindo dicas de viagem e deixando seu legado no mundo, ME DÁ UMA VONTADE DE MORRER.
Volto pra minha casa própria alugada, depois de um dia abafado e improdutivo. Busco uma foto do meu melhor ângulo e posto, para suprir minha incapacidade de lutar pelos meus sonhos e provar pra mim mesma que eu sou linda, sim. E tomo um remédio para cólicas, porque esse mês tá de matar.