Esportes

Tênis: Os sonhos altos da jovem Pietra

Guilherme Kalsing
Escrito por Guilherme Kalsing

Pouca idade, apenas 11 anos, mas um enorme talento, misturado com uma grande confiança e com o sonho de chegar longe em um dos esportes de alto rendimento que mais exigem dos atletas: o Tênis. Mas as dificuldades não assustam a menina Pietra Rosolen Rivoli, que desde a sexta-feira, 19, está em Uberlândia, Minas Gerais, onde disputará dois torneios importantes dentro do cenário nacional, a Copa das Federações e o Campeonato Brasileiro, em um intervalo curto.

A vida da jovem tenista é agitada e recheada de compromissos antes de entrar em quadra em qualquer torneio. Entre eles, estão a escola e as aulas de inglês. Pietra diz que o estudo começa cedo, antes mesmo do sol raiar. “Acordo às 5h30min para estudar. Depois vou para a escola, normalmente durante toda a manhã. Em alguns dias, tenho as aulas de inglês. E de noite, estudo mais uma pouco antes de dormir. É bem puxado”, indica.

Pietra ainda conta que mesmo nas viagens para os torneios que realiza, os estudos não deixam de ser uma prioridade nas horas vagas. “Levo os estudos nas viagens para não ficar muito atrasada e manter a rotina, que eu sei que é importante. Também conto com a ajuda dos professores, do colégio e dos colegas. Quando não estou em dia de provas, faço no turno inverso. É difícil, mas eu estou tentando”, admite.

Foto: Guilherme Kalsing/ Jornal Semanário

Entre esses compromissos importantes de estudo, aí sim a atenção vai para o esporte com os treinos acontecendo em Caxias do Sul, no Recreio da Juventude, com seus professores e em Bento, com orientação de seu pai, o ex-atleta de vôlei e que também joga tênis, Rodrigo Rivoli.

E foi dentro desta rotina recheada de atividades que Pietra alcançou resultados significativos, ainda mais para seu primeiro ano na categoria Sub-12. A prova dessa eficiência, fora e dentro da quadra, foi coroada com a convocação para a seleção gaúcha que estará neste final de semana em Uberlândia para a disputa da Copa das Federações.

Torneios nacionais, com adversárias fortes e em grande maioria mais velhas. Mas nada disso assusta Pietra. “Como é meu primeiro ano de 12, eu sei que é mais difícil, porque as meninas são maiores do que eu. Mas treinei bastante, estou preparada. É minha primeira vez com a seleção gaúcha, no torneio das federações, esperei muito pela convocação e estou muito feliz mesmo com pouca idade, vou curtir bastante, aproveitar, sempre focando nos jogos e no torneio. E claro, espero vir com o troféu”, salienta.

Na Copa das Federações, Pietra entrará em quadra direto na segunda rodada. O que dará a oportunidade de assistir e conhecer melhor a adversária. “Vou assistir e estudar com o pessoal da seleção os pontos fortes dele para na estreia vencer e seguir até o fim”, observa.

Foto: Guilherme Kalsing/ Jornal Semanário

Assim que encerrar a participação representando a seleção gaúcha, Pietra já começa um novo desafio e maratona de jogos. Também em Uberlândia, a bento-gonçalvense disputará a etapa do Campeonato Brasileiro. A participação em torneios nacionais e contra adversárias fortes serão cada vez mais rotineiros para a jovem.

Perguntada sobre como lidar com as vitórias e possíveis derrotas, apesar da pouca idade, Pietra demonstra maturidade diante deste cenário. “Sempre penso em vencer. A gente pega uma adversária dura e as vezes acontece de ser derrotada. Mas aí não tem o que fazer, é aceitar e aplaudir por ela ter jogado melhor que eu. Mas dou meu máximo e independentemente de ser o meu primeiro torneio, eu vou para ganhar”, destaca.

Sobre o autor

Guilherme Kalsing

Guilherme Kalsing

Deixe um comentário