Esportes

Taekwondo: Mais duas faixas pretas em Bento

Guilherme Kalsing
Escrito por Guilherme Kalsing

A capital do vinho é referência nas artes marciais e no último final de semana, isso mais uma vez ficou comprovado. Em exame de faixa de preta, organizado pela Federação Gaúcha de Taekwondo, realizado em Viamão, mais duas lutadoras conquistaram o direito de utilizar a faixa máxima das artes marciais.

Chegar a faixa preta, quer dizer que o aluno e lutador obteve o alcance da maturidade e do conhecimento. É o crescimento intelectual e espiritual do aluno, é a consciência de que o Taekwondo é muito mais do que uma simples luta, se confunde com a sua própria vida através de seus princípios e atitudes.

As mais novas faixas pretas do estado e de Bento Gonçalves são de gerações distintas. Natalia Zanetti, por exemplo, tem 34 anos e tem maior período dentro da arte marcial. Porém, entre idas e vindas, conquistou a faixa preta apenas neste ano, após um novo retorno e busca deste objetivo. Já Laura Sendeski da Campo, tem 12 anos e está desde dos sete na pratica esportiva, sob orientação do mestre e professor Volnei Zago, em sua academia no clube Botafogo.

Zago avaliou os exames de suas alunas para a obtenção da faixa preta. “As duas fizeram um bom exame, apresentaram excelente técnica e obtiveram a aprovação da banca de jurados que contava com o presidente da Federação, 8º DAN e Grão Mestre Olzemir Machado, mais mestres de 6º e 4º DAN. As duas treinaram muito para conseguir essa faixa preta de 1º DAN”, enaltece.

A média para que atletas cheguem até a faixa preta de 1º DAN, segundo Zago decorre entre cinco e seis anos de treinamentos e conquista de faixas, que na arte marcial somam nove. Ao todo, a Academia Zago já formou 13 faixas pretas, além de ter alunos na seleção gaúcha e títulos conquistados em competições nas esferas estadual, nacional e internacional.

Sobre o autor

Guilherme Kalsing

Guilherme Kalsing

Deixe um comentário