Saúde

Segundo caso importado de febre amarela é registrado no Estado

Ranieri Moriggi
Escrito por Ranieri Moriggi

A Secretaria Estadual da Saúde (SES), por meio do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), confirmou nesta terça-feira, 6 de março, o segundo caso importado no ano de febre amarela. Trata-se de um jovem do sexo masculino de 19 anos, residente em São Leopoldo, e que esteve em viagem à cidade de Nova Lima, Minas Gerais, entre o final de janeiro e início de fevereiro. Ele chegou a ficar internado, mas já recebeu alta há 10 dias. O primeiro caso importado do ano foi um morador de Jaguarão, que também esteve em viagem a Minas Gerais em janeiro, com a confirmação sendo feita no último dia 21.

O Rio Grande do Sul não apresenta registro de casos autóctones (contraídos dentro do Estado) desde 2009.

O rapaz, que esteve em viagem entre os dias 23 de janeiro e 4 de fevereiro a Minas Gerais, onde há a circulação do vírus silvestre,  já retornou ao Estado apresentando sintomas de febre, calafrios e insuficiência hepática. No dia em que retornou, procurou a Unidade de Pronto Atendimento de São Leopoldo, sendo internado no Hospital Centenário. No dia 13 de fevereiro, o paciente chegou a ser transferido para a Santa Casa de Porto Alegre com indicação de transplante de fígado. Contudo, no dia seguinte, apresentando melhora do quadro geral, teve descartada a necessidade do transplante e recebeu alta hospitalar no último dia 25. O resultado do exame que confirmou a febre amarela saiu nesta terça-feira, 6. Segundo a mãe do jovem, ele teria sido vacinado contra a febre amarela em 2009, embora não haja o registro da dose na carteira de vacinação.

Recomendação à vacinação

A SES recomenda que a população mantenha atualizada a sua vacinação contra a febre amarela, prioritariamente para quem circula ou mora junto a áreas de matas ou tem previsão de viagem para esses lugares, dentro ou fora do Rio Grande do Sul. Quem já tomou ao menos uma dose da vacina conta imunização suficiente para toda a vida, pois a vacina deixou de ter validade de 10 anos e passou a ser dose única.

Foto: Divulgação SES

Histórico da febre amarela no RS

O Rio Grande do Sul não apresentava casos confirmados de febre amarela desde 2010, quando foi registrado o último importado. Casos autóctones (contraídos dentro do Estado) não são confirmados no RS desde 2009. No Brasil, foram confirmados 723 casos e 237 óbitos entre 1º julho de 2017 a 28 de fevereiro deste ano, distribuídos nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Distrito Federal.

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário