Paulo Vicente Caleffi

Onde está Deus?

Nos quatro anos em que fui seminarista na cidade de Esteio, dos 9 aos 13 anos, embora ainda criança, tinha minhas crises de fé. Será que ser padre era meu futuro? Deus existe de fato? Onde Ele pode ser encontrado? Lia muitos livros, estudava e a crise continuava. Embora incoerente, rezei para ver o diabo pois seria a confirmação da existência de Deus: se existe Um existe o outro.

Haviam três igrejas da religião católica em Bento: Santo Antônio, São Roque e Cristo Rei e uma igreja protestante, a mesma que ainda tem seus cultos e que está na Praça Vico Barbieri. Todas cuidavam da saúde da alma dos fiéis.

Para cuidar da saúde do corpo tínhamos dois hospitais: Tachini e Giorgi. Haviam seis restaurantes e seis farmácias. Nada mais.

As farmácias se multiplicaram e felizmente os restaurantes ainda mais.
Fato é que Bento Gonçalves é uma referência turística e um grande e respeitado centro de saúde.

As igrejas também se multiplicaram. Os evangélicos apareceram e suas igrejas estão em todos os lugares da cidade.

Minha crise de fé foi bem resolvida. Tenho convicção na religião católica apostólica romana e respeito todas as demais crenças. Encontrei Deus dentro de mim se digno for tê-lo. Não vi o diabo e não creio em bruxas, “pero que las ay, las ay!”.

Desta forma Bento tem tudo para a saúde do corpo e da alma. Também o diabo anda solto por ai, prova está nos assassinatos que são noticiados as dezenas.

– “Meu Deus! Outro crime. Quando é que isto vai acabar?”

Quando o cidadão assim se expressa já acreditou em Deus e viu o diabo. É só procurar sua turma, aquela da igreja de sua religião, para fortalecer sua fé e ter seu Deus consigo.

Aqueles que tem o diabo em seu coração procuram sua turma de criminosos para fortalecer sua índole. Para estas pessoas Deus não existe. Ainda estão em crise de fé.

Entre igrejas, restaurantes e farmácias o cidadão vai compartilhando seu espaço sem saber se ao seu lado está alguém com Deus ou com o diabo. Cada um deve olhar para dentro de si e crer que o importante é ser bom, independente da maldade dos outros.

Com certeza Deus está bem aí, dentro deste bom cidadão.
E embora muitas vezes a vida nos pareça adversa, saberemos aceitar os desígnios de Deus mesmo que não os compreendamos. Afinal somos apenas humanos.

Não quis fazer o sermão da montanha. Escrevi sobre o lugar de Deus com a certeza de que Ele é que estava apertando o teclado de meu computador.

Deus não aperta gatilhos!

Sobre o autor

Paulo Vicente Caleffi

Paulo Vicente Caleffi

Empresário e cronista do Jornal Semanário.
redacao@jornalsemanario.com.br
www.jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário