Saúde

Lesões dos atletas de fim de semana

Da Redação
Escrito por Da Redação

As lesões na corrida não são exclusivas dos atletas profissionais, elas afetam também a parcela da população que pratica atividade física apenas no sábado e/ou domingo.

E quais são as lesões mais comuns em atletas de fim de semana?

Luxação: separação ou deslocamento das partes ósseas numa superfície articular ou perda completa da superfície de contato entre os ossos de uma articulação; comum ocorrer com o ombro (vôlei).

Tendinite: resposta inflamatória do tendão a um micro-trauma, comum em atletas que fazem esforço físico repetitivo. Em atletas de corrida é comum acontecer a tendinite patelar.

Contusão: lesão produzida por golpe ou impacto, frequente no futebol.

Entorse: lesão articular que ocorre quando o movimento numa articulação excede a amplitude normal do movimento, ocorrendo um deslocamento súbito da articulação. Comum no tornozelo e no joelho.

Distensão muscular: ruptura de fibras musculares, geralmente causada por um esforço muito grande ou por estresse muscular. Muito comum em jogadores de futebol, vôlei, basquete e atletas de corrida.

Ruptura de tendão ou ligamento: O joelho é o campeão deste tipo de lesão.

Fratura: os ossos de pessoas sadias se tornam mais densos e fortes quando submetidos à pressão constante, por isso, pessoas ativas que fazem exercícios com regularidade, têm menos probabilidade de fraturas. Porém os atletas podem apresentar fraturas por estresse. Causada por excesso de treinamento ou fraqueza muscular.

Hoje em dia, o atleta profissional sofre com a carga de treinamentos e o atleta de fim de semana sofre com a falta de condicionamento físico, que é um fator de sobrecarga diária que compromete o rendimento e potencializa a lesão.

Se a prevenção não foi feita o jeito é recuperar. Neste momento, é aconselhável uma avaliação médica que ajude o atleta na recuperação.

O tratamento por ondas de choque tem sido utilizado atualmente com resposta tão satisfatória para atletas de ponta como jogadores de futebol, ginastas olímpicos e atletas do vôlei que os clubes e comitês olímpicos têm criado centros de tratamento para aceleração do processo de cura e reabilitação. Este benefício também pode ser indicado para atletas amadores ou de fim de semana, independente da idade, que tenham sintomas recorrentes de dor e limitação funcional após atividade física ou treino.

Sobre o autor

Da Redação

Da Redação

redacao@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário