Paulo Vicente Caleffi

Irresponsabilidade

É passível de prisão aquele que deliberadamente se coloca numa sacada de um edifício e desde lá larga tijolos sobre os transeuntes. No mínimo um louco. Mesmo sem ter a explícita vontade de atingir alguém a irresponsabilidade do ato coloca em risco a vida dos que passam pelo local. De sã consciência ninguém faria isto.

Ontem passei por algo semelhante quando viajei desde Bento até Caxias. No volante do carro o Marcelo se esmerava por desviar as verdadeiras crateras existentes na pista. Um crime contra aqueles que precisam trafegar por lá.

Sem qualquer sinalização de risco os buracos apareciam a todo o instante e, com certeza, alguns deles especiais para provocar acidentes. Uma irresponsabilidade do setor público estadual.
Entre o acesso via Barracão e o entroncamento com a BR 470 a RSC 453 está uma vergonha. Turistas que arriscarem o olhar para o Hotel Farina correm o risco de sair da estrada e perder as rodas do carro.

O mesmo acontece para quem viaja até Porto Alegre pela São Vendelino. Para os viajantes assíduos é uma questão de desviar aqui e acolá, safando-se dos buracos. Para os demais, especialmente para os turistas de primeira viagem, é um risco de vida.

Lembro de um rapaz que não tomava banho e nem trocava suas roupas. Fedia azedo o coitado. A questão é que seu grupo de convivência era homogêneo, todos sujos, e para eles a falta de higiene era normal. Aquelas pessoas se acostumaram com o “zedume” e… tudo bem. Para quem chegava perto era um horror.

Nós também nos acostumamos com estradas ruins e a buraqueira nos parece normal. Por vezes pensamos que se fosse uma estrada de terra seria pior e vamos aceitando o “zedume” e… tudo bem.
Para todas estas rodovias, estaduais e federais, existem pessoas que tem uma responsabilidade sobre a segurança dos viajantes. Estas pessoas recebem remuneração pública para em seus cargos, no mínimo, tampar os buracos que colocam em risco a vida dos viajantes. Se não o fizerem são tão irresponsáveis como aquele que fica atira os tijolos sobre os transeuntes desde o alto de um edifício.

Já ouvi reclamação de pessoas que estouraram pneus e quebraram rodas de seus veículos. Nenhum processou na justiça os “irresponsáveis” que aceitaram a função pública de cuidar da segurança das rodovias e, assim, tudo continua na mesma.

Vi a inspeção veicular, quando do emplacamento de um automóvel onde houve a recusa da placa por haver pneus de marcas diferentes nos quatro rodados e pneus pouco gastos. Considero que o veículo estava em condições para transitar em asfalto seguro. O problema é a estrada e parece que ninguém reclama.

Nessa semana li notícias sobre o apelo de Bento Gonçalves para que os políticos se interessem pelas rodovias que dão acesso ao município. Gostaria de ver é um processo contra os irresponsáveis que permitem tanto desleixo nestas rodovias. Vidas estão em risco.

Sobre o autor

Paulo Vicente Caleffi

Paulo Vicente Caleffi

Empresário e cronista do Jornal Semanário.
redacao@jornalsemanario.com.br
www.jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário