Cultura

Eleições agitam o Movimento Tradicionalista Gaúcho

Ranieri Moriggi
Escrito por Ranieri Moriggi

Processo eleitoral ocorre hoje, junto ao Congresso Tradicionalista, em São Borja; duas chapas disputam o pleito

Uma votação acirrada deve marcar a eleição da nova diretoria do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), que acontece hoje, 12, durante o 67º Congresso Tradicionalista, em São Borja. Duas chapas estão inscritas e disputam voto a voto de tradicionalistas das 30 regiões do estado que deverão escolher os diretores, entre eles o presidente da entidade, além da junta fiscal. Neste ano, pela primeira vez em sua história, desde a sua fundação, o certame terá uma mulher disputando o cargo máximo. Na outra chapa, o atual presidente busca a reeleição.

No entanto, quem pensa que o processo eleitoral deste ano é tranquilo, se engana. O clima entre apoiadores de ambos candidatos fugiu do costume de outras eleições ocorridas no MTG e toda a tensão transbordou para as redes sociais, com depoimentos de tradicionalistas apoiando as candidaturas, bem como, postagens acusatórias para ambos os lados. Disputam a corrida, Nairoli Callegaro, atual presidente e busca a quarta eleição, e Elenir Winck, atual vice-presidente de administração e finanças.

Conforme Elenir, caso seja eleita, seu objetivo é ouvir e atender as demandas das cerca de 1,7 mil entidades tradicionalistas espalhadas pelo estado. Ela reforça a importância do diálogo e de andar próximo às mudanças pelas quais a sociedade vem passando no decorrer dos anos. “O MTG, apesar de suas características conservadoras, não está imune às influências externas, pois, ainda que tenha suas bases calçadas na tradição e no folclore, necessita compreender a sociedade dinâmica e em constante mudança na qual vivemos, bem como todos os meandros da contemporaneidade”, afirma. Segundo a candidata, a sociedade, de modo geral, vem sendo, no decorrer dos 52 anos de existência do MTG apoiadora dos princípios que norteiam o movimento e reconhecem o compromisso que com a cultura gaúcha. “Pode-se dizer, portanto, que é fácil “divulgar” o tradicionalismo, já que o Movimento Tradicionalista Gaúcho é uma organização atraente aos olhos do mercado (muitas empresas buscam se aproximar dele) e movimenta, direta e indiretamente, a economia do Estado. Por esse e por tantos outros motivos óbvios é que o futuro do tradicionalismo é brilhante e promissor”, reitera.

O atual presidente e candidato, Nairoli Callegaro afirma que o MTG vive um dos momentos mais importantes de sua história. Ele aponta que o pleito eleitoral possibilita a tomada de posicionamento junto a seus associados (entidades filiadas) e à sociedade gaúcha. Ele pontua dois aspectos que devem ser analisados: a preocupação da preservação das pesquisas realizadas por Paixão Côrtes e Barbosa Lessa e interação com a sociedade sem abrir mão dos princípios e origens que norteiam a organização. Callegaro reforça o compromisso em fomentar o voluntariado e aproximar o movimento à sociedade como um todo. “É necessário construir caminhos capazes de encurtar o distanciamento e a falta de entendimento com a sociedade e os poderes públicos. O MTG deve ter um papel de agregador, incentivador de promoção de nossa cultura regional”, ressalta.

Votação das propostas para 2019

Durante o congresso também serão analisadas e votadas propostas para o tradicionalismo gaúcho. No decorrer da programação, as lideranças tradicionalistas também deverão escolher o tema anual do movimento, utilizado para estabelecer a pauta de atividades nas entidades tradicionalistas, como palestras e encontros. No total, sete sugestões estão inscritas (confira na lista abaixo). A expectativa é de que cerca de duas mil pessoas participem das atividades que iniciaram na sexta-feira, 11 e seguem até amanhã, 13.

Temas inscritos

– “O uso das tecnologias em prol do tradicionalismo”
– “O Rio Grande do Sul com suas belezas naturais, sua arte e Tradição”
– “MTG 2019 – Com Paixão e por Paixão, na busca do resgate e valorização de nossos antepassados”
– “MTG no mundo digital: Tecnologia como ferramenta de integração e difusão de nossa Tradição, Cultura e Valores”
– “Mulher Gaúcha – 70 anos de Inclusão no Tradicionalismo Gaúcho Organizado, suas conquistas e participações”
– “Todo gaúcho vem do campo – O homem do campo como substância basilar da sociedade gaúcha”
– “A negritude na construção sociocultural gaúcha: Uma referência a trajetória e situação do negro no Rio Grande do Sul”

 

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário