Antônio Frizzo

É esse o plano diretor que queríamos?

Antônio Frizzo
Escrito por Antônio Frizzo

É ESSE O PLANO DIRETOR QUE QUERÍAMOS?
“Consummatum Est”! Quando Cristo pronunciou esta frase (“Tudo está consumado”), antes de morrer na cruz, certamente não imaginou que ela seria utilizada por milhares de anos para traduzir muitos fatos. Pois o Plano Diretor de Bento Gonçalves, que está sob investigação do Ministério Público, foi aprovado pela Câmara de Vereadores, assim, sem maiores questionamentos. O pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito, mesmo obtendo as assinaturas necessárias de vereadores para ser instalada, foi barrada pelo presidente da Câmara, vereador Moisés Scussel, sob a alegação que “as eventuais irregularidades já estavam sendo investigadas pelo MP”. O interessante disso é que o próprio MP afirmou que “nada impedia que a Câmara realizasse a CPI”. Por que, então, não se realizou a CPI?

É, MESMO?
Interessante é que o vereador que foi gravado afirmando que “vereadores receberam para votar emendas no Plano” também assinou o pedido de CPI e iria participar dela. Ah, sim, sempre haverá a alegação de que “CPI acaba em pizza”, não? Mas, será que aqui, em Bento, tão próxima da população, os vereadores iriam deixá-la “virar pizza” (ou seja, “não dar em nada”)? Assim sendo, a maioria dos vereadores que compõem essa legislatura entenderam que deveriam votar e aprovar o Plano Diretor, mesmo com todas as “dúvidas” que pairavam – E AINDA PAIRAM – sobre ele. Será que a população de Bento Gonçalves merecia ter um Plano Diretor desses? Quais são as consequências dele? A quem afetará? No que resultarão as investigações do Ministério Público?

E HÁ MAIS…
Sim, Bento Gonçalves ainda espera mais respostas. O meio político local está devendo explicações sobre vários acontecimentos. Tivemos o caso dos vereadores acusados porque teriam recebido “retorno” do salário de seus assessores através de empréstimos bancários; tivemos o caso dos concursos públicos, da Câmara de Vereadores e da Prefeitura, denunciados porque teria havido manipulação de resultados. Agora temos a denúncia envolvendo o Plano Diretor. E a população quer saber tudo. Saberá? Quando?

MUITO MAIS…
Bem mais agora, quando a imprensa apresenta matérias com possíveis desvios de conduta de funcionários de prefeituras em várias atividades. Aliás, o que me causou surpresa, meeesssmooo, foi a “surpresa” de muitos ao saber das inúmeras falcatruas constatadas em prefeituras brasileiras. É sério que não sabiam delas? Ingenuidade? Burrice? Desvios de conduta? Só imagino o que há para ser apurado nas mais de 5.500 prefeituras brasileiras, nos Estados e na União. Será que essa sangria no dinheiro dos nossos impostos poderá ser estancada um dia? Duvido! Onde há dinheiro, há ladrões de plantão para meter as mãos nele.

IPTU
Os porto-alegrenses estão às voltas com o seus IPTU. O prefeito deles quer porque quer “revisar os valores venais dos imóveis”. Alega que precisa haver “justiça social”. E ele está certo! Uma velha máxima latina diz que “Ubi non est justitia. Ibia non potest esse jus” (Onde não há justiça, não pode haver direito). Mas, o que é “justiça social”, em se tratando do IPTU e Taxa (que eles insistem em chamar de “contribuição”) de Iluminação Pública? Nós pagamos rios de impostos para adquirir um imóvel; depois pagamos uma fortuna a título de ITBI; aí vem a escritura, num valor absurdo; a seguir, pagamos o registro do imóvel. Terminou? Não, a partir daí temos que pagar o IPTU. A Taxa de Serviços Públicos me parece justa, afinal geramos lixo e ele precisa ser recolhido. Mas, essa Taxa é justa? Obviamente, NÃO!

FRAUDES? MAS, COMO?
De vez em quando sou surpreendido com algumas notícias. Há poucos dias redes nacionais de televisão e imprensa em geral deu uma informação bombástica: estavam “roubando” energia elétrica e em percentuais de dar inveja a qualquer estatístico. Pior! As notícias deram conta de que os “ladrões” não moravam nos subúrbios apenas. Os “roubos” acontecem em todos os setores, notadamente junto à classe média, inclusive a alta. Claro que não estou acreditando. Imaginem se essa classe média, que veste verde-amarelo; que faz manifestações junto ao “Pato da FIESP”, em plena Avenida Paulista; que foi às ruas para “protestar contra a corrupção” de políticos; que fica indignada com decisões do Supremo Tribunal Federal, quando seus ministros decidem qualquer coisa que não vá ao encontro de suas “convicções político-partidárias”, imaginem se essa classe média iria “roubar” energia elétrica, fazer “gatos” com TV a cabo, etc. Não, não, essa gente seria incapaz de proceder desta forma. Ou seria?

 

ÚLTIMAS

Primeira
Sábado passado estive na Universidade do Vale do Taquari – UNIVATES -, palestrando para o pós-graduação, no Curso de MBA, Gestão Empresarial e Marketing a convite do gerente do Bradesco Prime, Jorge Tischer, professor da UNIVATES. A UNIVATES tem mais de 13 mil alunos, em 40 cursos. Grato pela oportunidade, Jorge;

Segunda
Mais sobre IPTU e Serviços Públicos: quando os condomínios verticais, onde um único recolhimento de lixo cobre dezenas de famílias, irá pagar menos que as residencias unifamiliares pelos serviços?

Terceira
Segue a “zona” no trânsito da Rua Ramiro Barcelos e Júlio de Castilhos motivada por vários ônibus que chegam ao mesmo tempo. Por que é tão difícil resolver isso?

Quarta
E também na rua Ramiro Barcelos continua aquele “ziguezague”. Pessoas que vêm de fora de Bento Gonçalves procuram entender o que é aquilo. Não conseguem! Vai além da compreensão de pessoas de QI inferior a 140;

Quinta
Hoje, das 17 às 23h30min, teremos o WINE FESTIVAL na Rua Coberta. Uma boa pedida, sem dúvidas;

Sexta
Para quem gosta de futebol, a Copa do Mundo está satisfazendo até mesmo os mais exigentes. O árbitro de vídeo é uma atração à parte. Pena que não existisse de 2004 em diante;

Sétima
Mas, será que há quem tenha saudades do Brasileirão? Creio que a Copa do Mundo introduziu um nível bem superior de futebol. Ou não?

 

Sobre o autor

Antônio Frizzo

Antônio Frizzo

Economista e colunista do Jornal Semanário há 35 anos.
antoniofrizzo@italnet.com.br
www.jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário