Por trás das músicas ouvidas nas lojas de Bento Gonçalves, que vem recebendo milhares de turistas nos últimos dias frios do ano como um dos destinos mais procurados do Brasil pela gastronomia, vinhos e vinhedos, chocolates e muito mais, estão artistas que compuseram ou cederam a voz às canções que embalam os passeios e as compras nas principais ruas da cidade da Serra Gaúcha. Para conscientizar os lojistas e donos de estabelecimentos comerciais do município sobre a importância do pagamento da retribuição autoral a milhares de compositores, intérpretes, músicos, editores e produtores fonográficos, técnicos do Ecad irão visitar os empresários e alguns locais de Bento Gonçalves na próxima semana, do dia 12 até 16 de setembro.

Ao pagar pelos direitos autorais, o dono do estabelecimento passa a ter direito a tocar qualquer música publicamente, respeitando e remunerando os artistas que criaram e interpretaram as canções. O Ecad hoje conta, em seu banco de dados, com 6,3 milhões de obras musicais e 4,8 milhões de fonogramas, que contabilizam todas as versões registradas de cada música. Durante as visitas, além de explicar a obrigatoriedade e a importância do pagamento feito aos artistas através do Ecad, os técnicos poderão simular o valor da taxa a ser paga para que os pelos empresários locais, para que eles estejam em conformidade com as leis federais 9.610/98 e 12.853/13. Em caso de dúvidas ou mesmo para ter mais informações sobre o Ecad, os usuários de música poderão ainda procurar a unidade do Ecad em Caxias do Sul, que atende a região de Bento Gonçalves, através dos telefones (54) 3027-5404 / 4464 ou pelo email [email protected]

No ano passado, o Ecad distribuiu R$ 771,7 milhões a 155.399 titulares de música e associações. Do total distribuído, 68% foram repassados para o repertório nacional. Os segmentos que mais cresceram em valores distribuídos em relação a 2014 foram os de Sonorização Ambiental (84,67%), Festa Junina (45,94%) e Cinema (27,30%).

SOBRE O ECAD

O Escritório Central de Arrecadação e Distribuição é uma sociedade civil, privada, que tem como objetivo centralizar a arrecadação e distribuição dos direitos autorais de execução pública musical. Com gestão profissionalizada e premiada, é considerado referência na área em que atua e dispõe de um dos mais avançados modelos de arrecadação e distribuição de direitos autorais de execução pública musical do mundo. Administrado por sete associações de música (Abrac, Abramus, Amar, Assim, Sicam, Socinpro e UBC), é a entidade que representa todos os titulares de obras musicais (autores, intérpretes, músicos, produtores fonográficos e editores nacionais e estrangeiros) filiados a essas associações. Com sede no Rio de Janeiro, o Ecad possui 37 unidades próprias localizadas em diversos estados do país e 62 agências credenciadas que atuam especialmente no interior dos estados.