Circulei, recentemente, pelo litoral de Santa Catarina, especificamente, Balneário Camboriú, cidade que, não considerando a época de veraneio, tem população equivalente a de Bento. Ao Sul, praia de Laranjeiras (bondinho – complexo turístico – rica gastronomia) depois, Porto Belo, Bombinhas e suas lindíssimas praias adjacentes. Em Bombinhas há a disputa, em fase judicial, a prefeita quer cobrar pedágio dos carros que entram na praia sob a alegação de que preservar a flora, fauna e as características do município, usufruídas pelos turistas, custa caro e a prefeitura não pode suportar. A promotoria diz que tal cobrança é ilegal. Mais ao Sul, Florianópolis, é preciso falar sobre ela? Há muita gente de Bento morando lá, aliás, tem mais gaúchos no mercado de trabalho do litoral catarinense, do que catarinenses. Voltar para o Sul? Nem pensar, eles logo começam a fazer comparativos sobre a qualidade de vida e a deplorar as condições de nosso estado. Ao norte do Balneário Camboriú, belezas com a existência da praia Brava, de Itajaí com seu super porto que recepciona grandes transatlânticos, e Penha, onde está o Beto Carrero, complexo de lazer que recepciona milhares de pessoas. Outubro, mês das crianças, crianças não pagam, então foi uma loucura no complexo de lazer, filas e filas testando a paciência e tolerância. Tudo para fazer as crianças felizes.

Infraestrutura
Rede hoteleira, planejamento urbano, transporte de qualidade, estradas de qualidade, tanto na zona urbana, quanto fora dela, tudo isso o litoral catarinense tem. Tudo reside na boa gestão pública, o governador foi reeleito, o povo trabalha feliz e, se a gente está lá e olha para o Rio Grande, quanta lamentação!

Porque não copiar?
Vi, pelas ruas do Balneário, dois dindinhos e mais um dindinho de bicicletas (cerca de 30 bicicletas unidas, puxadas por uma bicicletona, todos pedalando e cantando felizes) circulando pelas ruas do Balneário. Vi caminhões de lixo todos pintados de branco, caminhões de visual lindo, silenciosos com a inscrição “Ambiental”. Vi policiais andando em dupla com um cachorro policial, “é o esquadrão anti-drogas, semana passada um cachorro descobriu droga dentro de um carro estacionado”, disse a dona da sorveteria, onde provei o sorvete de vinho (uma delicia), sim, de vinho, porque não tem por aqui?. Vi ainda carros da GUARDA ARMADA MUNICIPAL, isso mesmo, guarda armada municipal, em atividade intensa. Tudo o que vi lá me levou a um questionamento: porque não copiamos em Bento coisas que dão certo lá fora? Não reduziríamos a criminalidade se tivéssemos, a já tão discutida por aqui, Guarda armada municipal ostensiva, trabalhando paralelo a Brigada Militar? Um dindinho, dois dindinhos, não encantariam os turistas e as crianças, contribuindo para dar a cidade maior conotação turística? E os nossos caminhões de lixo não poderiam ser pintados de branco, com os garis usando traje branco, o caminhão com mensagem de preservação ambiental, não contribuiria para uma maior conscientização? Tudo o que vi lá me levou também a uma vontade interior: que o nosso Prefeito, o Secretário de Turismo, o Secretário do Meio Ambiente (Signor conhece bem Santa Catarina) façam uma viagem de observação e estudos e copiem de lá, sim, tudo o que é bom e se aplica aqui. Encantaria Bento, motivaria, deixaria os turistas mais satisfeitos. Nos pequenos frascos, os grandes perfumes, Prefeito.

Lamento
Sentado na beira da praia, vendo uma ilha, quase a beira mar, (que à noite é iluminada fantasticamente), ouvindo música, observando nos cardápios dos restaurantes a presença tímida, muito tímida e simplória, dos vinhos de Bento ao lado de uma lista imensa de vinhos estrangeiros de todas as nacionalidades, fui conduzido a lembranças: a Ibravin está em Flores da Cunha(Porque?); a Prefeitura está feia e tomada de vegetação no telhado; o museu está com os tapumes; o prédio da policia rodoviária, na entrada da cidade, construído com o dinheiro da comunidade, seus ocupantes não atuam em contrapartida policiando os acessos, como deveriam; tive instantes depressivos, dê-lhe um gole de vinho, e tudo minimizou, afinal, eu estava em Santa Catarina, estado cujo litoral pratica preços de grandes capitais do mundo e, vai se dar ao luxo de ter quatro equipes disputando o campeonato nacional da primeira divisão no ano que vem. Bem chega, acabou o espaço. Olho na urna!