Nos dias 5 e 6 de novembro, a Embrapa Uva e Vinho promove a “Reunião Técnica dos produtores de mudas de videira”, no auditório da empresa de pesquisa em Bento Gonçalves. O evento integra as ações que a entidade vem realizando nos últimos três anos, visando capacitar os viveiristas sobre os princípios técnicos da obtenção de material vegetativo de qualidade. A Reunião Técnica é um dos resultados do projeto “Mudas de Qualidade”, que visa buscar e aumentar a qualidade sanitária, genética e agronômica das matrizes, assim como das mudas comercializadas.

Segundo Daniel Grohs, analista da Embrapa Uva e Vinho e coordenador do Projeto “Mudas de Qualidade”, a muda de videira tem sido considerada como o fator de maior impacto no sucesso ou fracasso na implantação do parreiral. “Mudas de baixa qualidade, quando plantadas em áreas comerciais, são responsáveis pela introdução de pragas e doenças que reduzem drasticamente a longevidade do parreiral e a qualidade da uva produzida, além de acarretar no aumento do custo de produção e impacto ambiental devido à necessidade do maior uso de agrotóxicos”, comenta Grohs. Outro fator a ser levado em consideração é que inúmeras áreas com a ocorrência do “declínio da videira” (em que o parreiral morre no período de três a seis anos), têm sido associadas ao uso de mudas sem qualidade sanitária comprovada.

O projeto “Mudas de Qualidade” é o resultado da parceria público-privada entre a Embrapa e a Agaprovitis (Associação dos Produtores de Mudas de Videira do Rio Grande do Sul), com recursos da Sistema Brasileiro de Tecnologia (SIBRATEC) do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), operado pela Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), Embrapa e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O projeto tem a participação de inúmeras instituições públicas de pesquisa e transferência de tecnologia, destacando-se: Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri-SC), Emater, Embrapa Clima Temperado, Embrapa Semiárido, Embrapa Produtos e Mercado, além de vinícolas e associações de viticultores.

A Reunião Técnica é gratuita e aberta a todos os interessados na produção de mudas de videira, apresentará os principais aspectos técnicos e legais para produção de mudas no contexto de um sistema de qualidade (veja programação abaixo). Para participação, é obrigatória a inscrição através do email uva-e-vinho.eventos@embrapa.br ou telefone (54)3455.8087.

Programação:
Dia 5/11/2014
Abertura: apresentação da dinâmica do evento, Daniel Santos Grohs, Analista da Embrapa Uva e Vinho;
A muda de qualidade superior e o atual cenário da viticultura – Daniel Santos Grohs;
Bases fisiológicas envolvidas na produção de mudas em viveiro – Henrique Pessoa dos Santos, pesquisador da Embrapa Uva e Vinho;
Obtenção e manejo de matrizes visando alta sanidade viral – Thor Vinicius Martins Fajardo, pesquisador da Embrapa Uva e Vinho;
Estratégias para o manejo de fungos na obtenção de mudas com alta sanidade – Lucas da Ressurreição Garrido, Pesquisador da Embrapa Uva e Vinho;
Estratégias para o manejo de insetos na obtenção de mudas com alta sanidade – Marcos Botton, pesquisador da Embrapa Uva e Vinho;
Aspectos Legais para Produção e Comercialização de Mudas de Videira – Francisco S.N. da Gama, eng. agr., Fiscal Federal, SEFIA/DDA-RS.

Dia 6/11/2014
Cultivares de domínio público e protegidas – conceitos, direitos e deveres do viveirista, Edison Antonio Bolson, Analista da Embrapa Uva e Vinho;
O Programa de Modernização da Viticultura (MODERVITIS) e a necessidade de mudas de qualidade superior – José Fernando da Silva Protas, pesquisador da Embrapa Uva e Vinho;
O programa Embrapa para disponibilização de material vegetal propagativo de qualidade superior junto ao setor Vitícola – Nelson Pires Feldberg, analista da Embrapa produtos e Mercado;
Encerramento – Daniel Santos Grohs.