Ontem à noite eu estava na janela. Não é mais aquela janela, mas nessa também há histórias. Enquanto pensava em nada, olhei para as estrelas no céu. Algumas grandes e brilhantes, uma nuvem passando rápido. E tinha uma pequena estrela que se esforçava para brilhar.

À primeira vista achei que fosse um avião, mas percebi que era somente uma grande esfera de plasma tentando ser digna de estar ali. Pensei comigo “porque não estou olhando para a estrela maior, brilhante e fogosa que está do lado? Afinal, ela não chama mais atenção? Ou não? Será meu senso de pequeneza?”

Continuei tentando desviar o olhar…até que me dei conta, que aquela pequena grande estrela estava dando tudo de si, fazendo força para emitir calor e luz. Até que a pequena grande estrela se acomodou, sem mais piscar.
Fiquei pensando nas inúmeras conclusões que eu poderia tirar, poderia aqui falar sobre tantas coisas que a pequena grande estrela me ensinou nesses poucos minutos. Mas ia virar um texto de auto-ajuda chato pra cacete, cheio de frases para posts motivacionais (ou nem tanto), com conselhos que ninguém ia seguir.

Peguei o celular para anotar os pensamentos.

Voltei à janela e ela estava piscando novamente. Larguei o celular e fui fazer o que tinha que fazer.