O silêncio da Câmara

Vereadores de Bento estavam adivinhando que o governador dos gaúchos, Eduardo Leite (PSDB), retrocederia e manteria a região da Serra – e o município – na bandeira laranja do distanciamento controlado para evitar a propagação do coronavírus? Ou tinham informação privilegiada de dentro do palácio? É que a mudança de cor anunciada sábado, colocando Bento e região na bandeira vermelha, não mereceu uma única palavra dos nobres edis na sessão desta segunda, 29. Ao contrário da sessão do dia 15 quando, ao decretar a bandeira vermelha, Eduardo Leite foi duramente xingado. Até de traidor.

Jogando para a torcida?

Vereador Neri Mazzochin (PTB) jogou para a torcida, recentemente, ao invocar intervenção das Forças Armadas para garantir a lei e a ordem no país, aproveitando a transmissão ao vivo da sessão legislativa nas redes sociais da Câmara de Bento? Mais do que isso, sem citar o nome do poder, disse que o Judiciário está impondo uma ditadura comunista, no Brasil, e que para combater este tipo de regime está “na hora de tomar este poder a bala”. Falou que se for necessário se dispõe a pegar em armas e até morrer para lutar por um Brasil melhor.

Como seria o pleito se…

As eleições municipais vêm aí. A propósito, o amigo leitor, ou amiga leitora, sabe quantos são os partidos políticos existentes no Brasil, devidamente oficializados junto ao Tribunal Superior Eleitoral?

São 33!

O mais antigo é o Movimento Democrático Brasileiro, o MDB, que por um tempo foi PMDB e, agora, MDB de novo. Foi registrado em 30 de junho de 1981 e completou 39 anos ontem, terça-feira. O mais novo – e talvez o menos conhecido – é o UP, Unidade Popular, com registro deferido no TSE em 10 de dezembro passado.

Já imaginou, o leitor, o que seria uma campanha eleitoral com cada partido tendo o seu candidato a prefeito e as centenas de candidatos – ou milhares – à Câmara de Vereadores?

Numeradas

1 – Sessão da Câmara de Vereadores de Bento, desta segunda-feira, 29, durou exatos 34 minutos. Foi uma das mais breves do ano.

2 – Os quatro projetos de lei, que estavam na pauta para serem votados, foram aprovados por unanimidade. E só dois deles mereceram a defesa do líder do governo, Eduardo Virissimo (Progressistas).

3 – Somente um vereador usou a tribuna e, mesmo assim, sem abordar nada de grande interesse para a comuna. Parece que, por Bento, tudo vai muito bem, obrigado! Quando se sabe que não é bem assim.

4 – Em tempos de pandemia, sábado à tarde havia congestionamento de veículos no trecho da Via del Vino, passando pela Saldanha Marinho e chegando à Barão do Rio Branco.

5 – Muita gente com máscara protegendo só o pescoço e famílias inteiras superlotando certos estabelecimentos comerciais. Todo mundo ajudando o coronavírus a permanecer entre nós!

6 – Por falar em Covid-19, não está faltando uma efetiva e dura fiscalização por parte das forças policiais, acionadas pelo Executivo, e da própria Prefeitura por meio da Defesa Civil, Departamento Municipal de Trânsito e Guarda Civil Municipal, entre outros agentes?

7 – Frase ouvida na Câmara, do vereador Agostinho Petroli (MDB), mais ou menos com estas palavras: “A política não serve só para eleger os bons, mas também para retirar de cena os políticos ruins e os que não contribuem com nada”.