Que coisas maravilhosas aconteceram com essas eleições. No dia 02 de outubro, mais de 5.550 municípios brasileiros escolheram seu prefeitos e vereadores, no que convencionaram chamar de “festa da democracia”. Claro que os que determinaram que as eleições fossem assim denominadas são os mesmos que controlam e fazem o que querem com o Brasil e seu povo. Mas, como a “imprensa amiga” faz parte desse verdadeiro “festival de hipocrisia” em que transformaram a informação, convenceram a maioria esmagadora da população – que, simplesmente, leva ao pé da letra o que lê, ouve ou vê em jornalões, revistonas, rádios e televisões (todos esses meios regiamente pagos pelos “donos do Brasil”) de que o que é bom é o que “eles” dizem e escrevem. A hipocrisia foi institucionalizada! As eleições foram a prova disso.

Punições seletivas?
A “imprensa amiga” conseguiu cumprir à risca o que lhe foi determinado. Convenceu a população, em sua maioria, que os problemas do Brasil se resumiam, na maioria, aos membros do PT. Detonaram o partido como um todo, fingindo que os demais ladrões e corruptos históricos nada têm a ver com a roubalheira. Membros de partidos como o PSDB, por exemplo, que tem membros roubando São Paulo há 24 anos (fora os anos em que não se sabe) seguem impunes e distantes de qualquer punição. O PMDB, que têm membros em todas as falcatruas denunciadas, bem como o PP – ambos com expoentes políticos comandando o Brasil há mais de cinco décadas – têm a maioria dos denunciados, mas, incrivelmente, a “imprensa amiga” não cita os partidos quando comenta – com espantosa raridade – as suas roubalheiras. E muitos outros partidos mais estão na mesma situação, o que faz com que qualquer pessoa, de mediana inteligência, pense que estamos diante de denúncias e punições seletivas. Será?

Maravilha! Agora vai?
Pois bem, as eleições foram o reflexo do “maravilhoso” trabalho da “imprensa amiga” e de seus pit bulls regiamente remunerados. O PT foi quase que totalmente alijado da política brasileira. O PSDB, PMDB e PP dominaram as urnas, pelo que se pode supor que a ética, a moral e a honestidade lhes pertence e que nada tiveram a ver com essa merda toda em que soterraram o Brasil, não nos últimos 13 anos, mas desde 1964. Quem viveu e acompanhou a política e a economia do Brasil de 1995 a 2002, anos em que PSDB, PP e PMDB comandaram a seu bel prazer, deve estar feliz da vida. Estão novamente protagonizando tudo, com um histórico de dar inveja a…bem, deixemos para lá. O importante é que “já está havendo sinais de melhoras”. Só resta informarem para quem. Pelo menos não será mais necessário aturar “movimentos contra a corrupção do PT”. Será que agora vai, mesmo? Tucanos e seus aliados “acham que sim”. Ótimo, não? A pátria está salva! Agora vai!

Atenção total!
Os novos valores das multas devem exigir atenção total de parte dos motoristas. Claro que todos são favoráveis às multas. Afinal, só é multado quem comete infrações de trânsito. Mas, algo me chamou a atenção. O tal de aplicativo que permite desconto de 40% no valor das multas, desde que não haja recurso, ou seja, que o motorista pague bovinamente. Se este País não fosse o Brasil, até que seria bom. Porém, imagine que você seja multado por infração que não cometeu. Que seja alegado estar “usando o celular” ou “sem cinto”, só porque o tal agente não gosta da sua cara. Como sabemos que os recursos raramente – para não dizer “nunca” – são deferidos, se pensa: “Bem, melhor pagar com desconto de 40%”. Uma nova fonte de receita está surgindo?