“A história só começa onde os momentos se tornam inteligíveis e onde existem documentos dignos de fé”. Ramke

“Trabalhar é, conscientemente, modificar a natureza. Nossos ancestrais aqui chegaram, transformaram a rude natureza e tentaram construir na Serra gaúcha, o mundo que na sua Pátria de origem lhe havia sido negado.

O cultivo da terra, o nascimento da indústria, o surgimento dos povoados, a abertura das estradas, as reivindicações operárias, a educação (surgiram escolas conceituadas) enfim, a vida do homem que trabalhava modificando a natureza e criando suas Instituições está registrada em documentos, jornais e fotografias.”

A valorização do imigrante não é apenas seu enaltecimento e sim o reconhecimento deste período dentro de um contexto histórico, e para isso mais adequado que um arquivo histórico que documenta, faz lúcidos os relatos que uns somados aos outros, contenham a trajetória fiel ao acontecimento que transformou nossa região e consequentemente o registro do surgimento de uma nova civilização.

É fundamental a consciência de que um documento é produto do trabalho. Ele expressa sentimentos, anseios, valores, o modo de organização política, econômica e social da caminhada de um povo. A fotografia é um documento pois auxilia na interpretação e reconstrução dos acontecimentos, hábitos, costumes, enfim, retém o tempo do registro fotográfico.

Os jornais também são documentos, pois podem retratar a mentalidade de uma época e o registro de fatos e acontecimentos.

Existem muitas maneiras de se reconstruir o dia a dia na história, sem que se apele necessariamente ao “mito” e ao sensacionalismo.

É assim que a documentação histórica pode ser analisada, tornando-se fundamental para o conhecimento e entendimento do patrimônio histórico e cultural.

Em consequência, podemos afirmar que o Patrimônio documental reunidos nos arquivos históricos se constitui na riqueza de um povo, para entender a estrutura da construção de uma Pirâmide Histórica dentro de seu tempo.

Por tudo isto, conclama-se que em todos os lugares se organize instrumentos de trabalhos adequados à tarefa dos pesquisadores, jornalistas e ao público em geral, mediante a conscientização, localização e divulgação para a reconstrução da nossa História.

“Nestes 140 anos, tenhamos a visão aberta para não perdermos os valores daqueles que construíram os alicerces daquilo que hoje nós estamos usufruindo.”