Geral

Veículo de monitoramento da Prefeitura já está gerando multas

Suellen Krieger
Escrito por Suellen Krieger

Há pouco mais de um mês terminou o período de testes e o veículo de monitoramento conduzido por fiscais de trânsito da Zona Azul já está operando pelas vias públicas de Bento Gonçalves.

De acordo com dados cedidos pela Secretaria de Segurança, do dia 18 de março até o dia 17 de abril, o veículo fiscalizou 58.498 carros. Desses, 148 motoristas foram multados por não pagar a taxa exigida para utilizar a vaga do estacionamento rotativo e/ou não regularizar a situação dentro das 48 horas permitidas. Em 2018, Bento Gonçalves multou em média 101 condutores por mês.

O veículo Fiat Mobi Way circulou em período de testes do dia 18 de janeiro a 16 de março. Fase utilizada para verificar se a tecnologia do carro fornecia efetivamente as informações necessárias, para treinamento dos agentes de trânsito e também para adaptação da comunidade bento-gonçalvense com o novo sistema de fiscalização. Durante esse tempo de experiência, o veículo fiscalizou 89.053 veículos estacionados na Zona Azul, sendo constatado que 585 condutores utilizaram a vaga e não pagaram. Por ser fase de testes, não foram gerados autos de infração. “Desde janeiro nós estamos avisando que o veículo estava em fase de testes, mas que chegaria o momento em que iria fiscalizar efetivamente, emitindo autos de infração”, comenta o Secretário de Segurança, José Paulo Iahnke Marinho.

Veículo de monitoramento

O Secretário admite que a fiscalização estava sendo falha devido ao baixo efetivo de fiscais necessários para atuar nas áreas azuis da cidade. Em Bento, são 33 agentes realizando esse trabalho. “A área a ser fiscalizada era muito grande, tínhamos que ter muitos agentes fiscalizando, então agora ficou mais fácil. O veículo vai circulando e fazendo o serviço que o agente faria a pé, simplesmente isso”, afirma.

Ainda de acordo com Marinho, havia muita cobrança de fiscalização mais efetiva por parte dos usuários que pagam corretamente pelo uso da vaga. “Quem vai ocupar uma vaga na área central para realizar qualquer tipo de atividade tem que pagar e em duas horas sair com o veículo dali para dar espaço para outra pessoa poder usar, ou seja, é compartilhar espaços. Infelizmente, no centro nós não temos mais espaço para estacionamento de veículos na via pública”, reitera.

Estou irregular, e agora?

O usuário que estaciona o carro na Zona Azul e não utiliza o tíquete do estacionamento, está irregular. Um aviso de tolerância é emitido por um monitor da empresa Rek Parking, indicando que o usuário tem até dez minutos para adquirir o tíquete e regularizar a situação ou desocupar a vaga.

Caso o motorista não respeite as regras do estacionamento ou exceda o tempo tolerado – de 2 horas por veículo – o usuário recebe a chamada Tarifa de Pós Utilização (TPU) com o valor referente a irregularidade que causou. O motorista tem prazo de 48 horas para pagar e se regularizar. Caso não faça o pagamento dentro desse prazo, o usuário leva uma multa de trânsito no valor de R$195,23 e cinco pontos na carteira de habilitação.

Os parquímetros funcionam 24h por dia, permitindo que o condutor realize o pagamento em qualquer horário. “Todos os parquímetros foram substituídos por outros modernos, para ajudar o usuário. Agora não precisa mais ir até a empresa, é possível pagar ali no parquímetro mesmo”, comenta Marinho.

Próximo passo: Zona Azul vai receber sensores

A previsão do Secretário Marinho é que na próxima semana comecem a ser instalados sensores nas vagas de estacionamento da Zona Azul. “No momento que é estacionado o carro em cima do sensor, ele informa que há um veículo ali. Quando vencem as 2h o sensor vai informar ao sistema que o veiculo está irregular. Se o motorista não pagou e saiu, o sensor vai ficar o tempo inteiro informando para o motorista e para os monitores que tem que fazer o pagamento”, explica Marinho.

Todas as 772 vagas serão sensorizadas e numeradas. Os equipamentos foram comprados na Espanha. “É algo que nós vamos ter que acostumar a comunidade, pois quando o motorista for fazer a compra, vai ter que digitar a placa do veículo e o número da vaga que estará usando”, conta Marinho.

O veículo cedido em forma de comodato para a Prefeitura é operado por um agente de trânsito e equipado com quatro câmeras que conseguem pegar os dois lados das vias, fazendo fotos dos veículos estacionados na área azul.

Veículo auxilia na segurança pública

O veículo também está sendo utilizado na questão da segurança pública. “A Brigada nos fornece uma relação de veículos furtados e roubados. O agente insere no computador as placas, antes de sair com o veículo. Se o veículo passar por qualquer uma das placas que foi cadastrada pelo agente de trânsito, ele da um alerta na tela. O agente verifica a localização e liga para o 190 passando as informações”, declara Marinho.

Sobre o autor

Suellen Krieger

Suellen Krieger

Deixe um comentário