Saúde

Trate a perda auditiva e viva melhor

Da Redação
Escrito por Da Redação

A perda auditiva tem um enorme impacto sobre a qualidade de vida de milhões de indivíduos, principalmente idosos, e está se tornando um transtorno cada vez mais comum com o envelhecimento da população. Estudos indicam que aproximadamente 11% das pessoas entre 44 e 54 anos já apresentaram alguma perda auditiva. O percentual sobre para 25% em indivíduos de 55 e 65 anos e chega a quase 50% da população com mais de 70 anos. Entre os fatores para a causa da perda auditiva está a hereditariedade e a exposição crônica a ruídos altos.

Entretanto, para verificar se a perda auditiva existe realmente é necessário realizar um teste auditivo. É um exame simples e indolor, que pode ser feito durante uma consulta com um médico especialista ou num centro auditivo, onde são feitas diversas análises, sem a interferência de outros sons ou ruídos externos. Não se preocupe! Existem tratamentos e formas eficazes para a prevenção e a melhoria da qualidade de vida.

Quais os tipos de surdez e tratamentos?

Normalmente, os especialistas falam em três tipos de surdez existentes. Portanto, é importante compreender cada uma delas para saber o melhor tratamento. A Surdez neurossensorial é quando ocorre lesão nas células nervosas e sensoriais que levam o estímulo do som da cóclea até o cérebro. As doenças que atingem a cóclea e o nervo auditivo raramente têm tratamento. A Surdez por condução é o tipo de perda acontece quando há algo bloqueando a passagem do som da orelha externa até a orelha interna. Ela pode ocorrer pelo rompimento do tímpano, excesso de cera que se acumula no canal auditivo ou introdução de algum material no canal auditivo. Também há a surdez central, também chamada de presbiacusia, que ocorre à medida que as pessoas envelhecem por conta do desgaste natural do sistema auditivo.

Para cada tipo de surdez, existe um tipo de tratamento recomendado. Se o caso for acúmulo de cera no ouvido, o médico pode fazer a remoção usando o instrumental do consultório. Um detalhe importante é que a pessoa não pode tirar o cerume em casa, pois o uso de qualquer material pode empurrar ainda mais a cera para o conduto auditivo e bloquear o tímpano. Se o problema for presbiacusia, é sinal que as células ciliadas auditivas se desgastaram e geraram a surdez. Normalmente, esses casos podem ser solucionados com o uso de aparelhos auditivos, conhecidos popularmente como aparelhos de surdez.

Se o problema for nas perfurações timpânicas e nas lesões ou fixação dos ossículos (martelo, bigorna, estribo) o tratamento é cirúrgico. Nos casos de secreção acumulada atrás do tímpano (otite secretora) por mais de 90 dias, sem melhora da audição, a cirurgia também está indicada. Se for a doença de Ménière o tratamento é clínico e, às vezes, cirúrgico. Em casos de tumores, o tratamento indicado pode ser essencialmente cirúrgico, radioterápico ou radio cirúrgico. Muitos pacientes têm indicação de aparelhos auditivos (aparelhos de surdez), cuja função é amplificar os sons. Para aqueles pacientes com surdez severa e profunda que não se beneficiam com esses aparelhos está indicado o uso do implante coclear. Os implantes cocleares são sistemas eletrônicos implantados cirurgicamente, que têm a função de transmitir estímulos elétricos ao cérebro através do nervo auditivo. No cérebro esses estímulos elétricos são interpretados como sons.

Como prevenir

Nunca coloque qualquer objeto, incluindo cotonetes, dentro do canal auditivo. Se o fizer, pode acabar forçando a cera para dentro e entupir o canal ou danificar o tímpano. Vale lembrar que uma vez constatada a perda auditiva, um profissional deve ser procurado e deve ser feito o acompanhamento necessário para viver e ouvir melhor.

Sobre o autor

Da Redação

Da Redação

redacao@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário