Andressa Borges

‘Tempo, tempo tempo, da minha cabeça…’

Andressa Borges
Escrito por Andressa Borges

Semana passada assisti um vídeo de uma moça falando sobre como lidamos com situações ruins e como isso nos afeta. Ela sofreu um acidente de carro provocado por uma motorista alcoolizada e teve sua perna amputada com 20 anos. Qual foi sua reação? Em primeiro lugar, gratidão. Gratidão por estar viva. Ao entrar na sala de cirurgia, ela só conseguia pensar nas coisas que deixou de fazer e orou muito para que pudesse viver.
Depois disso fez todas as tatuagens que queria, trancou a faculdade de administração e começou jornalismo, que era seu sonho.

O que fazemos com o nosso tempo? Se você morresse agora, do que se arrependeria?

Não é possível ficar cego ou negligenciar o sistema, precisamos trabalhar, nos sustentar, pagar os impostos. Mas ser infeliz é realmente a moeda a ser paga? Mudar hábitos não é uma atitude fácil, ficar sentado esperando a oportunidade passar não funciona. Ser ‘vida loka’ está longe de ser o resumo desse texto, a pergunta é: porque evitamos tanto a felicidade? Fato que é preciso adiar sonhos por um bem maior, trabalhar só por dinheiro de vez em quando, aguentar aquele colega invejoso. Mas dê um fim nisso. Tenha um objetivo que permita você viver feliz todos os dias.

Nosso corpo e mente transbordam energia. Se passarmos nosso tempo pensando na quebra da concorrência ou na infelicidade ‘dazinimiga’, quando vamos pensar em nós e agirmos para alcançar nossos sonhos? Junte os amigos, cada um segura um balão, quem não tiver seu balão estourado ganha. Porque todo o mundo tenta estourar o balão do outro se é só CADA UM PROTEGER O SEU?

E para completar aquela velha história dos pensamentos positivos. NÓS ATRAÍMOS AQUILO QUE TRANSMITIMOS. Não é possível que não tenha nada de bom na sua vida, então, foco nela! E foco nas soluções dos seus problemas, sempre ciente de que estamos em uma montanha russa. Pré-ocupação é usar antecipadamente seu precioso tempo, com uma situação que já tem seu tempo destinado. Você gasta ‘dois tempos’ para no final ter o mesmo resultado.

Da mesma forma que não temos noção da nossa passagem nessa vida, não temos noção do resultado que nossas escolhas e ações têm ao longo desse tempo. As pessoas não se exercitam nem comem alface porque têm preguiça de esperar o resultado do ‘corpitcho’ chegar.
– Sério que demora 1 ano para ficar sarado assim? E 2 para ficar assim? Dá o meu hamburguer que eu sou mais feliz.
Se daqui um ano você tiver comido açúcar viciante e gordura saturada e passou todas as noites jogado no sofá é provável que você estará gordo e doente. Se você tiver comido melhor e se exercitado, em um ano você vai ter uma saúde de ferro e de quebra vai estar ‘gostosão’. O tempo vai passar de qualquer forma! As consequências são frutos das suas escolhas.

– Faça mais o que você gosta, sem deixar de fazer o que você precisa. Acredite, é possível!
– Cuide mais da sua vida, seus projetos, seus sonhos, seu nariz.
– Se preocupe somente o suficiente. Um problema que não tem solução, solucionado está.
– Cuide da sua saúde física e mental. Nosso corpo e mente adoecem, mais cedo ou mais tarde.
– Você pode fazer de tudo, mas não torne hábito o que for tóxico para o corpo e a mente.
– O mais tarde chega mais cedo que esperamos.

Sobre o autor

Andressa Borges

Andressa Borges

diagramacao@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário