Geral

Simples Nacional: Alterações são colocadas em pauta

Cleunice Pellenz
Escrito por Cleunice Pellenz

Curso, promovido pela Fluxo Assessoria, elencou principais mudanças na nova tributação e esclareceu dúvidas dos presentes

Muitos indivíduos já devem ter ouvido falar nas mudanças que acontecerão no Simples Nacional neste ano. Entretanto, muitas dúvidas ainda permanecem referentes a este assunto e, por isso, a atualização é importante. Para auxiliar empresários, profissionais na área contábil e demais interessados a esclarecerem as dúvidas sobre o tema, a Fluxo Assessoria Contábil e Empresarial promoveu, na quarta-feira, 7 de fevereiro, um curso para explicar as principais alterações no regime de arrecadação, cobrança e fiscalização de impostos. Cerca de 50 pessoas ouviram atentamente as explicações da palestrante, a contadora Deise Parisotto.

No início da atividade, Julia Medin Liviera, da Fluxo, falou e agradeceu a presença de todos. Após isso, de forma clara e objetiva, esclarecendo os questionamentos dos participantes, Deise iniciou sua fala abordando os novos limites de faturamento e outros impeditivos ao enquadramento no Simples Nacional.

As microempresas permanecem com teto de R$ 360 mil e o faturamento de pequenas empresas sobe de R$ 3,6 milhões para R$ 4,8 milhões. Entretanto, o novo limite de R$ 4,8 milhões aplica-se somente aos tributos federais, pois, ao ultrapassar o limite de R$ 3,6 milhões, as empresas estariam sujeitas ao recolhimento do ICMS e do ISS “por fora” da guia do Simples.
Além disso, falou sobre as faixas de segurança que existem sobre esses limites. Essas determinam se a empresa será excluída no ano seguinte, no mês seguinte ou até de forma retroativa, sendo obrigada a recalcular todos os seus tributos conforme a categoria geral. Outra alteração foi a da apuração do DAS – Documento de Arrecadação do Simples Nacional. A partir de 2018, existem 5 anexos – em contraste ao 6 que existiam em 2017 -, que passaram a ter apenas 6 faixas cada um, com novas classificações de atividades e prestações de serviço, bem como o fator R e sua influência na nova forma de classificação das mesmas, entre outros assuntos.

Quem participou da atividade, fala o quanto é essencial estar atualizado. Para Delacir Barbosa Júnior, da Probo Consultoria Empresarial, o curso foi de grande proveito. “Na função de consultor de empresas, somos muito questionados sobre o funcionamento, o que pode e o que não pode no Simples e foi importante pela qualidade do profissional que o conduziu”, destaca. Segundo ele, todas as dúvidas foram sanadas, principalmente o fator R, como funciona, os impeditivos e a alíquota do simples que será móvel a partir de 2018 com a implantação de novas regras.

Para a Fluxo, o momento foi importante para a equipe, empresários e profissionais da área presentes. “Foi muito bom, pois veio para esclarecer todas as alterações trazidas para 2018”, explica Adriana da Costa, coordenadora fiscal da Fluxo. Segundo ela, é fundamental para a equipe obter mais conhecimento. “Temos que nos manter informados para poder levar a informação de forma correta e precisa ao cliente, com confiabilidade e transparência. O simples trouxe mudanças de grande complexidade para este ano e o objetivo é nos especializar cada vez mais. A Fluxo investe muito em treinamentos para os funcionários”, salienta.

Para mais informações, a Fluxo atende na rua General Gomes Carneiro, 436, sala 21, telefone (54) 2621.4868.

Sobre o autor

Cleunice Pellenz

Cleunice Pellenz

geral5@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário