Adelgides Stefenon

Sem partido já!

Adelgides Stefenon
Escrito por Adelgides Stefenon

Estou lançando, no Brasil, uma campanha: a do SEM PARTIDO JÁ!

Uma das principais causas pelos problemas brasileiros chama-se ineficiência governamental. É sabido que os governos são péssimos gestores e, normalmente, pensam quase que exclusivamente em si próprios do que no povo que eles representam. Contudo, nos últimos anos, este Brasil brasileiro está enfrentando turbulências nunca antes vistas com tamanha profundidade.

As opções governamentais afetam diretamente a todos, para o bem ou para o mal. Por exemplo: a política governamental federal dos “CAMPEÕES NACIONAIS” pela qual o BNDES (nosso maior banco para fomentar o crescimento das empresas) foi errada. Com o auxílio a grandes empresas como à operadora OI, à EBX ( de Eike Batista) e à JBS, entre outras, o banco deixou de fomentar o desenvolvimento de outros milhares de brasileiros país agora. E com que resultado hoje se vê: corrupção e mais corrupção.

Por falar nela, a corrupção está solta por aí e grande parte de suas causas está ligado à manutenção dos partidos políticos ou a compra dos menores pelos maiores para criação da fatídica e questionável “base parlamentar” ou de “minutos de televisão” para as campanhas políticas. Os partidos, muitos pelo menos, se vendem para formar a maioria no congresso nacional.

Eu quero votar em quem eu quero e não em políticos filiados a partidos políticos. Por que devemos ficar presos às amarras dos partidos políticos? Por que eu ou você não podemos votar em pessoas sem partido? Se pessoas sem partido conseguirem maioria do povo, pois bem, que assumam o governo. Sem vícios, sem rabo preso, talvez melhoraremos este país. Esta é minha contribuição para abrir o debate para construir um Brasil melhor.

Bem, voltando à economia em si, uma notícia ruim e uma boa. Comecemos com a ruim. O Brasil perdeu 23 posições no ranking de competivididade dos países nos últimos 7 anos. As principais causas para isto: falta de infraestrutura, falta de visão de longo prazo, corrupção, crise política, falta de educação, excessiva carga tributária, entre outros. Culpa de quem: dos governos. Ou talvez seja de todos nós brasileiros por não cobrarmos dos governantes que façam as coisas certas.

A boa notícia: nosso PIB, no primeiro trimestre deste ano, cresceu 1% terminando a série de 24 meses de recessão onde nosso produto interno bruto só diminuiu e, com isto, todos nós fomos ficando mais pobres. Fui um dos primeiros colunistas do Brasil a afirmar que 2016 era o fundo do poço ainda na metade do ano passado. Poucos creram. Depois, a Revista EXAME trouxe esta conclusão em janeiro deste ano.

A crise já passou? Está passando mas ainda temos que fazer as reformas trabalhistas, tributária, a política e a orçamentária. O governo federal não pode gastar mais tanto gerando déficits e mais déficits. A taxa de juros precisa continuar baixando e a crise política não poderia complicar mais as coisas do que já estão complicadas.

Portanto, engaje-se na Campanha SEM PARTIDO JÁ ( like no meu facebook ), busque depender menos dos governos e continue olhando para frente. Só assim você alcançará seus objetivos.
Pense nisso e sucesso.

Sobre o autor

Adelgides Stefenon

Adelgides Stefenon

Adelgides Stefenon é economista, mestre em marketing, consultor nacional e internacional e professor universitário.
adelgides@stefenon.com.br
www.stefenon.com.br

Deixe um comentário