Assunta De Paris

Que a luz não apague

Assunta De Paris
Escrito por Assunta De Paris

O mês de outubro está prestes a findar foi um mês de muitos acontecimentos: Eleições, dia da criança, aniversário do Município, dia da padroeira do Brasil, Feira do Livro e muitas Reflexões foram analisadas e refletidas, por nós… E quem diria o Brasil… e pelo mundo…

As crianças, com sua inocência, precisam de um apoio, de uma lua para encontrar seu caminho. O amparo é necessário. O amor e o carinho devem estar presentes na família.

O Município, o lugar onde estamos precisa da nossa colaboração e principalmente a gratidão dos que construíram o que somos hoje. E, portanto, temos o dever e a obrigação de conhecer a nossa HISTÓRIA.

Somos conhecidos pelo mundo, como uma civilização que deu certo. A nossa região é marcada pela FÉ e o TRABALHO. Assim, o mundo nos vê, em nível de Brasil e se complementa com o cenário da Padroeira do Brasil. Milhares de Devotos buscam pela FÉ, melhores dias para o DESTINO DO BRASIL.

Enfim, temos diante de NÓS a REALIDADE DAS ELEIÇÕES… TEMPOS A OPORTUNIDADE DE EXERCER A NOSSA CIDADANIA…QUE O NOSSO VOTO SEJA CONSCIENTE… E COM FIRMEZA… SOMOS UM POVO DE GRANDES VALORES… A luz da fé deve iluminar todos os momentos da nossa vida. Todos os cuidados são necessários para que ela não se apague… Um rei possuía um palácio esplêndido. Mesmo assim vivia pobremente, com serenidade, ajudava a todos e era por todos reis qual era o segredo de viver daquela forma. O rei respondeu-lhe: você mesmo descobrirá qual o meu segredo. Entregou a ele uma lamparina e explicou-lhe: você poderá percorrer todo o palácio, mas não poderá deixar que a chama se apague. Caso isso aconteça você pagará com a vida.

Com extremo cuidado, o sábio pegou a lamparina e iniciou a visita a todas as dependências do palácio. Algumas horas depois, o sábio retornou. E o rei perguntou-lhe se havia visto todas as suas esplêndidas riquezas. O sábio, ainda tremendo, respondeu: FIQUEI TÃO PREOCUPADO EM MANTER A LAMPARINA ACESA QUE FUI PASSANDO PELAS SLAS E NÃO VI NADA. E o rei contou-lhe seu segredo: pois é assim que eu vivo. Tenho toda a minha atenção voltada para manter acesa a chama da DIGNIDADE E DO MEU DEVER QUE AS COISAS MATERIAIS POUCO ME AFETAM. TENHO CONSCIÊNCIA QUE AS RIQUEZAS PODEM TORNAR-ME CEGO, SÓ A LUZ DIVINA ILUMINA O MEU CAMINHO.

Qualquer um de nós pode fazer uma experiência: tentar levar uma vela acesa para um determinado ponto numa noite de chuva e vento. Se quisermos que a vela não se apague, precisamos dedicar a ela todo o cuidado. Não nos preocupamos em apreciar os detalhes doo caminho, nem com nossa comodidade. A vela ocupará toda a nossa atenção.

“No momento em que vivemos, onde o medo parece ter se apossado das mentes e corações e onde os acontecimentos em escala local, nacional e mundial nos fazem acordar diariamente perplexos, sentimos, mais do que nunca, a necessidade de LUZ PARA ILUMINAR NOSSO CAMINHO…!
ESPERO QUE SEU VOTO SEJA CONSCIENTE

Sobre o autor

Assunta De Paris

Assunta De Paris

Historiadora e colunista do Jornal Semanário há 30 anos.
redacao@jornalsemanario.com.br
www.jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário