Antônio Frizzo

Procurado vivo ou morto!

Antônio Frizzo
Escrito por Antônio Frizzo

PROCURADO VIVO OU MORTO!
Quando um dos cinemas locais, existentes na época, o Marco Polo, o Aliança e o Ipiranga (é, prezados jovens, existiam três cinemas em Bento e não existiam shoppings) anunciava um daqueles que nós, adolescentes, chamávamos de “Bang-Bang” ou “Far West” (que transformamos em “Faroeste”), as sessões de sábado e domingo lotavam. A idade dourada do western norte-americano tem como expoente máximo o trabalho de dois realizadores: John Ford, que foi o grande impulsionador da carreira de John Wayne, e Howard Hawks. Nós “torcíamos” para o “mocinho” do filme, que enfrentava bandidos, assassinos, perigosos índios apaches, comanches, etc. Nas cidades, os xerifes colocavam cartazes onde se lia: “PROCURADO, VIVO OU MORTO. RECOMPENSA: 1.000,00 DÓLARES”. O valor da recompensa dependia da periculosidade do bandido.

MUDOU O QUÊ?
Esses filmes espelhavam os Estados Unidos nos anos de 1870, 1890, etc. Ou seja, quando houve a tomada das terras norte-americanas a partir do Leste. Pois bem, o que mudou desde então? Pois é, estamos no Brasil, onde as leis do velho oeste não imperam. Aqui, bandidos assaltam bancos, lojas, pessoas, indústrias, comércio, empresas de segurança, dinamitam tudo o que julgam necessário, assassinam e o que se vê? Anúncios de “INFORMAÇÕES PODEM SER DADAS PELO FONE…” e é “garantido o sigilo das informações”. A bandidagem adora isso!

MUDOU O QUE II?
Há casos em que oferecem “recompensa” por informações que levem a polícia a prender bandidos procurados. Mas, o que mudou foi o “procurado, vivo ou morto”. E, claro, tolheu-se das autoridades – policias civis e militares e até do povo – o direito de prender o “bandido procurado” VIVO OU MORTO. Agora é só “VIVO”. Aí, no caso de ser preso, ele brevemente estará leve, livre e solto para praticar seus crimes. No “faroeste” eles eram enforcados, depois de um julgamento sumário. No ano passado, um perigosíssimo bandido condenado a dezenas de anos de prisão, foi solto. Esta semana voltou a ser preso, depois de praticar muitos outros crimes. Pode isso, Arnaldo? Quando teremos no Brasil uma lei que autorize o “PROCURADO VIVO OU MORTO”? É o que o povo quer!

EU SABIA!
Quando o ex-prefeito Fortunato Rizzardo iniciou o processo de asfaltamento de ruas, colocando o asfalto sobre paralelepípedos, escrevi na coluna que estávamos criando um custo eterno. Sim, porque o asfaltamento exige mais reparos do que os paralelepípedos. Os sucessivos prefeitos continuaram o processo “asfalto sobre paralelepípedos”. E aí? A manutenção tem sido satisfatória?

AGORA DEU, NÉ!
Um empresário foi baleado covardemente na semana passada, num absurdo assalto. Gregório Bruschi, um homem bom, do bem, nada fez, não reagiu, apenas deu um passo para trás, com as mãos bem à vista e, mesmo assim, o bandido desferiu um tiro nele. Gregório, depois de três dias na UTI, faleceu em razão do tiro recebido. O que virá agora? Talvez o assassino assaltante seja identificado. Quanto tempo ficará preso, recebendo alimentação e o atendimento médico que necessitar, tudo pago por nós, povo? Pouco, certamente, muito pouco tempo. Vide o “Papagaio”, preso há poucos dias, novamente.

JÁ PASSOU DA HORA!
Se crimes desta envergadura não são suficientes para que nossos “mui leais e valorosos” deputados, senadores e governo central tomem medidas drásticas para mudar essa legislação vagabunda, pífia, que protege criminosos de todos os tipos, eles PRECISAM SER SUBSTITUIDOS por outros que tomem atitudes em defesa da gente de bem e do bem. Agora deu, né? Já passou da hora de se fazer uma faxina ampla, geral e irrestrita no mundo político brasileiro, a começar nas próximas eleições. Ou esperemos para lamentar o próximo assassinato que, pelo que se tem visto, demorará pouco tempo. A impunidade é o que move esses criminosos, certamente. Até quando?

INACREDITÁVEL!
O tal de “horário politico gratuito” (regiamente pago pelo povo) está cada vez mais surreal. É incrível como aparecem políticos que, com a maior cara-de-pau, querem se colocar como “salvadores da pátria” ou “realizadores” de coisas que qualquer eleitor, de mediana inteligência, sabe que não passam de “promessas politiqueiras”. Muitos JÁ estão na política, em cargos, há muitos anos e nada fizeram. Por que pensam que, agora, alguém acreditará que farão, mesmo? Simples: eles continuam fazendo politicagem com a velha máxima: “o povo é esquecido”. Será que, mesmo com as redes sociais bombando, o povo continua com a memória fraca? Por isso é que me recuso a assistir ou ouvir horários de políticos e suas promessas.

ÚLTIMAS

Primeira:
Em Porto Alegre, ruas asfaltadas ou com paralelepípedos estão viradas num chapéu velho. Há buracos imensos dentro de crateras. Diz o prefeito que “a situação financeira é terrível”. Pode isso, Arnaldo?

Segunda:
E aqui, em Bento, estaremos “portoalegrando” (com o perdão pelo neologismo) nossas ruas? Bem, se os buracos no asfalto continuarem a se proliferar, talvez sim;

Terceira:
Mas, o prefeito Aido José Bertuol sempre foi zeloso com nossas ruas. Na sua administração ele criou “equipe de reparos” para fazer operações “tapa-buracos”. Certamente ele fará o mesmo, agora que está no comando;

Quarta:
Bem, muita gente deve estar contente com nosso governo atual. O preço da gasolina nas refinarias acumula alta de 71,28% e, o do diesel, valorização de 69,46%, segundo o Valor Online, desde julho do ano passado. Em 30 dias, foram 17%;

Quinta:
Segundo os economistas e outros “puxa-sacos” de governos, “está certo dolarizar os combustíveis”. Claro, para a “tchurma” que ganha em dólares ou equivalentes, sim;

Sexta:
Para quem duvidava das possibilidades do Inter no Brasileiro, os resultados devem ter surpreendido. Não surpreendeu quem assiste e analisa futebol com a razão, não com a paixão;

Sétima:
Ao Grêmio resta dedicação total para tentar conquistar a Libertadores, o que se prenuncia muito difícil;

Oitava:
HOJE, 15 de setembro, um dos maiores clubes do Planeta completa 115 anos de existência. Parabéns, Grêmio FBPA! Parabéns, torcedor gremista!

Sobre o autor

Antônio Frizzo

Antônio Frizzo

Economista e colunista do Jornal Semanário há 40 anos.
antoniofrizzo@italnet.com.br
www.jornalsemanario.com.br

1 Comentário

  • Oi Frizzo, a 4 semanas atras fizeste uma reportagem citando os deputados q Bto ja elegeu e n vi o nome do meu pai q foi eleito 2x e prefeito e vereador, alem de ser tb o teu 1 empregador. Um grande abraco tide

Deixe um comentário