Saúde

Polícia investiga falsificação de medicamento contra o câncer no Rio Grande do Sul

Ranieri Moriggi
Escrito por Ranieri Moriggi

O Ministério Público do Rio Grande do Sul, a Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor, a Secretaria Estadual da Saúde e a Unimed POA emitiram um alerta à sociedade gaúcha, na sexta-feira, 23, sobre uma possível fraude envolvendo três lotes do medicamento para o tratamento do câncer Sutent 50 mg, da Pfizer, com as seguintes numerações: 1) 985EE; 2) 986EE; 3) 987EE.

Há suspeita de falsificação do remédio. A Delegacia Especializada do Consumidor instaurou um inquérito policial para apurar eventual crime contra as relações de consumo e contra a saúde pública.

As instituições orientam todas as pessoas que tenham adquirido esses lotes do medicamento a comparecerem na Secretaria Estadual da Saúde (avenida Ipiranga, 6113, em Porto Alegre), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, para entregarem os comprimidos, que serão encaminhados para perícia. Cada caixa do medicamento custa cerca de R$ 20 mil.

O Sutent (malato de sunitinibe) é indicado para o tratamento de tumor estromal gastrintestinal (um tipo de câncer de estômago e intestino) após falha do tratamento com mesilato de imatinibe devido à resistência ou intolerância. Também é indicado para o tratamento de carcinoma metastático de células renais (um tipo de câncer
nos rins) avançado e para o tratamento de tumores neuroendócrinos pancreáticos (um tipo de câncer no pâncreas) não ressecáveis (que não podem ser operados).

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário