Cultura

Pequeno no tamanho, grande no talento

Ranieri Moriggi
Escrito por Ranieri Moriggi

Apaixonado pelas coisas do Rio Grande, bento-gonçalvense foi destaque no Rodeio Internacional de Vacaria, em janeiro

A vocação, às vezes, bate à porta quando o dono do talento mal tem altura para encostar-se à maçaneta. Com incentivo dos pais, Eduardo Sadi Berlatto Guarnieri, 9 anos, vem se destacando no cenário tradicionalista. Ainda na categoria pré-mirim, o garoto foi premiado em 17 dos 18 concursos que participou ao longo de quase dois anos em que fez da arte de declamar. Destaque para a sua última conquista: o vice-campeonato no Rodeio Internacional de Vacaria. Pais afirmam estar orgulhosos das conquistas e buscam incentivar o filho a permanecer no tradicionalismo.

Interpretação de Eduardo impressiona durante a declamação. Foto: Reprodução

O jovem declamador começou a recitar poemas aos 7 anos de idade. Os pais Lidiane e Marcos lembram que a primeira vez em que o filho subiu ao palco foi uma surpresa. “As pessoas do CTG que estavam presentes disseram que ele tinha que continuar declamando”, comenta Lidiane.

As aulas, que ocorrem semanalmente sob a batuta do professor Neiton Bittencourt Peruffo, estimulam o pequeno Eduardo a aprimorar sua técnica e explorar ainda mais o seu potencial. Por integrar o CTG Herdeiros da Bombacha, além da poesia o garoto toca gaita e ainda é posteiro do grupo de danças da categoria pré-mirim. “Ele é muito espontâneo. Faz as coisas porque realmente gosta e isso é o que nos deixa mais tranquilos, porque nada é forçado”, explica a mãe.

Inspiração e incentivo

Apoio constante da família é o diferencial para as conquistas do declamador. Foto: Arquivo Pessoal

Além dos pais, Eduardo tem um grande incentivador: o avô Sadi Berlatto, que sempre acompanha o neto e, segundo Lidiane, “o vô Sadi é a paixão do Eduardo”, comenta. Junto com a família, a entidade apoia o trabalho que o garoto realiza. “A coordenadora Zelide de Vargas também tem a sua parcela nas conquistas. É na casa dela que ocorrem as aulas de poesia”, ressalta.

Mas o incentivo não para por aí. Devido a forte ligação do talento pré-mirim, os pais tomaram gosto pela arte e também se renderam ao tradicionalismo. Atualmente, o casal dança na invernada xirú do CTG Paisanos da Tradição.

O avô Sadi Berlatto, sempre acompanha o neto. Foto: Arquivo Pessoal

Conquista na Vacaria

De todos os prêmios conquistados por Eduardo, o último, sem sombra de dúvidas é o mais especial, afinal, foi na edição do Rodeio Internacional de Vacaria, que o pequeno sagrou-se vice campeão da modalidade Declamação Peão Pré-Mirim, concorrendo com dezenas de participantes, oriundos de diversas regiões do país. “Lembro que o professor Neiton sempre falou de Vacaria, que era a “Copa do Mundo dos Rodeios” e incentivou muito o Eduardo a ir concorrer. Estar lá já foi uma vitória”, lembra Lidiane. No entanto, o menino foi mais longe. Conseguiu passar da fase eliminatória e seguiu para a grande final. “Assistimos os concorrentes dele. Alguns, foram impecáveis e sabíamos que seria páreo duro. Quando o nome do nosso filho e de Bento Gonçalves foi anunciado, a emoção tomou conta de todos”, comenta a mãe orgulhosa.

Em Vacaria, Eduardo declamou a música, transformada em poema “A Bravura do Peão”, de autoria de Vitor Mateus Teixeira, o Teixeirinha.

 

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário