Bairros

Pelos bairros de Bento: Dois anos de espera por limpeza no Universitário

Guilherme Kalsing
Escrito por Guilherme Kalsing

Moradores do bairro pedem agilidade por parte da Prefeitura

Terrenos inutilizados, em grande parte pertencentes ao município, estão espalhados por várias regiões e bairros de Bento Gonçalves. Neles, o cenário quase sempre é o mesmo: mato. E por consequência, esses locais acabam recebendo variados tipos de lixo descartáveis de forma ilegal por parte de alguns moradores o que gera outros problemas, como proliferação de animais e também, muita insegurança. No bairro Universitário, isso também acontece há pelo menos dois anos sem que haja uma solução.

Uma das preocupações no local está na Rua Judith Stella Rossato Sonza. Por lá, há duas áreas verdes, uma delas pertencentes ao município, segundo os moradores e, outra recentemente adquirida, mas que também estava no quadro de terrenos da administração do município.
Em ambas, a situação é a mesma; muito mato e sujeira entre as árvores já existentes e tradicionais no espaço. O caso já foi informado inclusive através de documento entregue pelo vereador Sidnei da Silva (PPS), ao Secretário de Meio Ambiente, Claudiomiro Dias. O ofício pedindo a limpeza tem a data de 15 de fevereiro de 2017.

Desde então, segundo os moradores, nada foi feito. Iraci Somensi comenta a atual situação do local. “Já veio o secretário de obras em 2017 que prometeu que na outra semana viria retirar, mas até hoje nada. Tem bicho no mato, sujeira, pedra, ninguém faz nada para a gente aqui. Dois anos e nada”, lamenta.

De acordo com Iraci, outros pedidos foram realizados para a limpeza, sem obtenção de resposta. “Já solicitamos várias vezes essa limpeza, mas ninguém mais veio até aqui para verificar a situação. A gente poderia fazer uma limpeza, mas não nos permitem, e isso acaba ficando. É muito ruim conviver com isso” sustenta.

O jovem Lucas De Bona também comenta a situação sob a ótica da segurança da rua. “O mato está alto, consequentemente, tem gente que entra ali à noite. Teve um cara que se escondeu e roubou três casas. Sempre tem alguém se escondendo aqui do lado, não tem como enxergar de tão alto o mato. Sem contar também os bicho de todos os tipos”, frisa.

Ainda segundo De Bona, a situação fez com que a atenção redobrasse. “Minha namorada estuda e vem tarde da noite, o que faz com que perto da hora de chegada eu fique perto da janela para dar um maior cuidado. É complicado, bastava limpar”, argumenta.

A falta de limpeza também afeta outros pontos do bairro, o que prejudica o escoamento da água em dias com maior volume de chuva. É o que conta João M. A. Sousa. “As bocas de lobo estão todas entupidas, então, não tem como vencer quando tem muita água. Isso acontece em várias ruas, principalmente as mais baixas aqui do bairro, infelizmente”, menciona.

Prefeitura emite parecer 

A reportagem do Semanário procurou a Prefeitura e suas secretarias referente as cobranças dos moradores. De acordo com o Secretário de Meio Ambiente Claudiomiro Dias, as equipes irão vistoriar os locais e posteriormente incluir no cronograma de limpeza da secretaria, que atende semanalmente diversos bairros do Município.

Conforme o Secretário de Viação e Obras Públicas, Lucio Lanes, a área será vistoriada e posteriormente também será realizado o serviço de acordo com cronograma da Secretaria.

Sobre o autor

Guilherme Kalsing

Guilherme Kalsing

Deixe um comentário