Geral

Pe. Luís Carlos Conci celebra 25 anos de Ordenação Presbiteral

Cleunice Pellenz
Escrito por Cleunice Pellenz

Toda caminhada humana, por mais árdua que seja, deve ser comemorada com muita alegria, fé e amor, princípios que regem e guiam a trajetória de cada pessoa. Estes elementos são encontrados na história dos 25 anos de ordenação presbiteral do Pe. Luís Carlos Conci. A celebração de duas décadas e meia como sacerdote será realizada neste domingo, dia 13, com missa festiva às 10h no Santuário de Santo Antônio, seguido de almoço no Salão Paroquial da comunidade Santa Catarina, no bairro Licorsul, mesmo local de sua ordenação no ano de 1994.

Bento-gonçalvense, natural do Vale Burati Luigi, como era chamado antigamente, Conci nasceu no dia 14 de outubro de 1965, filho de Fiore Conci e Maria Bellusso Conci. Foi criado juntamente com os irmãos Ivo, Ivanir, Lóris, Sadi e com as irmãs Irma, Inês, Vilma e Vânia.

Na época, tradicionalmente as famílias italianas alimentavam o desejo de ter um filho padre e com a família Conci não foi diferente. “Minha vocação provavelmente esteja ligada aos laços familiares, com padres e irmãs consagradas nesta família. Entretanto, mais do que isso, acolher o chamado de Deus foi a maior motivação”, explica o padre Conci.

A história com a comunidade bento-gonçalvense, neste caso o Santuário de Santo Antônio, iniciou muito cedo. Pe. Luís Carlos Conci foi batizado e crismado naquela igreja.

Iniciou sua caminhada rumo ao sacerdócio aos 14 anos nos Seminários da Diocese de Caxias do Sul. Cursou o bacharelado em Filosofia na Universidade de Caxias do Sul (UCS) e se formou em Teologia na Pontíficia Universidade Católica (PUC-Porto Alegre). Como diácono, morou em Belo Horizonte durante dois anos, onde se dedicou aos estudos e conviveu com uma igreja humilde, amiga e repleta de esperança. Foi nesse período que se encantou com os exercícios espirituais de Santo Inácio de Loyola, os quais cultiva até hoje na caminhada da vida de um padre diocesano. “Na época, quando ainda era muito jovem, pedia para Deus motivação para que fosse possível realizar todos os trabalhos e abraçar a missão que me foi dada”, salienta.

Após este período, no dia 9 de janeiro de 1994, com a participação de seus pais, familiares e muitos amigos, aos 28 anos foi ordenado na Igreja Santa Catarina, bairro Licorsul. Sua primeira experiência pastoral foi de três anos na paróquia São Francisco de Paula, nos campos de cima da Serra.Em 1997 foi nomeado pároco da paróquia São lourenço Mártir, em Coronel Pilar.

Após trabalhos em diferentes paróquias, em 9 de fevereiro de 2016 foi designado para a paróquia Santo Antônio. Como conterrâneo de um povo querido, muito generoso e com traços fortes da cultura italiana, se sentiu muito bem acolhido na equipe paroquial.

Sobre o autor

Cleunice Pellenz

Cleunice Pellenz

geral5@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário