Antônio Frizzo

Palavras do secretário!

Antônio Frizzo
Escrito por Antônio Frizzo

PALAVRAS DO SECRETÁRIO
“A Vale não pode ser sacrificada pela sociedade, mas sim os responsáveis pela tragédia de Brumadinho-MG, com o rompimento da barragem. Nesse desastre terrível, estou vendo a sociedade sacrificando a companhia, quando deveriam ser sacrificadas as pessoas que tomaram as atitudes”, falou o Secretário-Geral de Privatizações. Disse mais, ele: “A companhia não fez mal a ninguém. Os erros foram cometidos por seres humanos, e essas pessoas é que devem pagar, não a companhia”. Nada mais do que o óbvio-ululante. Algo que tenho escrito aqui, há muito tempo. Quantas violências foram cometidas contra a vida e contra a natureza, tendo a EMPRESA apontada como “culpada”? Pois é!

E QUEM SERÁ RESPONSABILIZADO?
Sim, a pergunta terá que ser respondida a todos os brasileiros e para toda a humanidade. Depois de Mariana, era lícito se esperar que medidas fortes fossem tomadas pelas chamadas “autoridades competentes”. E o que se viu? Graças a uma legislação chinelona, pífia, alicerçada numa Constituição Lixo, deu a lógica: os poderosos, os que chamo de “donos do Brasil”, postergam de todas as formas e seguem impunes. A lerdeza da justiça e o poderio econômico, aliados, são o paraíso dessa bandidagem. Será que Bolsonaro terá respaldo para colocar um paradeiro nessa “casa de irene” em que transformaram o Brasil, DESDE 1964? Quem viver, verá!

POR QUE DAR RAZÃO?
Qualquer estudante de direito ou pessoa que tenha um mínimo de interesse no assunto sabe que a lei prevê que presos possam acompanhar o sepultamento de familiares, notadamente em primeiro grau. Morreu o irmão de Lula. Se os órgãos públicos avaliam que “poderá haver problema a ida dele ao enterro”, cabe exclusivamente a esses órgãos tomar as medidas necessárias para impedir suas suspeitas. Só em 2015, mais de 175 MIL presos compareceram aos enterros de familiares. Nada além do que a lei prevê.

POR QUE DAR RAZÃO? II
Tófolli, ministro do STF (que antipetistas chamam de “petista” e, pelas suas recentes decisões, petistas o chamam de “antipetista”, uma lógica ridícula que só o fanatismo político-partidário que assola o Brasil pode alimentar), “decidiu” que ele poderia ir para São Paulo, mas desde que o cadáver fosse levado a uma base militar. De onde, de qual legislação ou jurisprudência Tófolli tirou isso? E ainda mais “decidindo” DEPOIS do corpo ser sepultado?

RAZÃO A QUEM?
Claro, os petistas tiveram reforçados seus argumentos de “PERSEGUIÇÃO POLÍTICA” de parte da polícia federal e da justiça. Afinal, por que deram motivos para tal protesto? As “saidinhas” de Natal e outras datas, concedidas a bandidos de extrema periculosidade, que acabam assaltando e MATANDO nessas ocasiões, há lei que permite. Quanto tempo o Congresso Nacional levará, ainda, para mudar essas bandalheiras todas? Ah, sim, e dizer o que da “jenialidade” de alguns antipetistas (que são exatamente iguais a petistas) que argumentaram que “ele não foi no enterro de outros dois meio-irmãos”? Decidir com qual parente uma pessoa tem mais afinidade é decisão pessoal e ninguém tem o direito de questionar. Mas, como petistas e antipetistas são idênticos em suas razões…aliás, eles fizeram com que eu abominasse a política brasileira.

QUEM DISSE O QUÊ?
Informação que vem de Brasília diz que Paulo Guedes, o poderoso ministro, afirmou que “militares são patriotas e sabem liderar pelo exemplo”, e que “eles entrarão na segunda fase da reforma previdenciária”. Por outro lado, o secretário especial de Previdência do Ministério da Economia, Rogério Marinho, disse que o presidente Jair Bolsonaro determinou uma reforma nas regras de aposentadoria para “todos os segmentos” da sociedade”.

O QUÊ, MESMO?
Isso, obviamente, incluiu civis, militares, judiciário, funcionalismo público municipal, estadual e federal. E nem poderia ser diferente, já que a Constituição Lixo que temos diz que “todos são iguais perante a lei”, mas, até agora, ela não foi cumprida e os “mais iguais” são abonados pela previdência. Então, é melhor esperar para ver o que Congresso Nacional, que é quem manda, VERDADEIRAMENTE, no Brasil, fará.

O DAER?
Leio que o DAER testa sistema móvel eletrônico, o Auto Patrol, que está instalado junto ao giroflex de viaturas da polícia rodoviária da BM. Objetivo: flagrar veículos irregulares. Que ótimo! Depois disso o DAER, certamente, deverá se preocupar também com o estado deplorável da ERS-453 e da ERS-446, inicialmente. Se cuidar das rodovias já terá o reconhecimento dos motoristas.

ÚLTIMAS

Primeira:
Aliás, a impressão que dá é que rodovias estão sendo deixadas “ao deus dará” para justificar a introdução de pedágios no dos proprietários de veículos;

Segunda:
Interessante a página “MEMÓRIAS”, do Jornal Semanário, edição 1105, de 1989. A manchete de capa estampa: “VEREADORES: LIDERANÇAS REIVINDICAM REDUÇÃO DA REMUNERAÇÃO”;

Terceira:
As “lideranças” citadas eram as entidades representativas do município. Claro que os “nobres” edis de então “andaram” para a reivindicação, tanto quanto os que os sucederam, até hoje;

Quarta:
Os leitores, nos quarenta anos desta coluna, devem estar lembrados das inúmeras vezes que protestei contra a nababesca remuneração que os vereadores se autoatribuiam e o “exército” de funcionários que compõe a Câmara;

Quinta:
Leio que a CORSAN anuncia que até o final do ano 30% do esgoto de Bento será tratado. Putz! Para quem está esperando há décadas, mais uns onze meses não fará diferença, né?

Sexta:
Junto aos carnês do IPTU os bento-gonçalvenses receberão um boleto para contribuição para a Fundação CONSEPRO. Dispensável dizer-se de importância vital na colaboração de todos, pagando esse boleto;

Sétima:
Essa contribuição é que permite a sustentabilidade da segurança pública de Bento Gonçalves. O governo do Estado está falido. Não dá para esperarmos ajuda vinda dele, né?

Oitava:
Neste início de temporada, o Grêmio aparenta estar um pouquinho melhor que o Inter, não? Será que é só “aparência” e tudo voltará “ao normal” em fevereiro? A conferir!

 

Sobre o autor

Antônio Frizzo

Antônio Frizzo

Economista e colunista do Jornal Semanário há 40 anos.
antoniofrizzo@italnet.com.br
www.jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário