Cristiano Migon

Opinião

Cristiano Migon
Escrito por Cristiano Migon

Com muita satisfação que, a partir desta semana, assumo um espaço importante dentro do Jornal Semanário. Muito além de apenas opiniões e informações sucintas, esta coluna serve como contato imediato entre você, leitor, e o que ocorre dentro e fora dos bastidores de Bento Gonçalves, do RS e do País. O jornalismo é, antes de tudo e sobretudo, a prática diária da inteligência e o exercício cotidiano do caráter. Nossa tarefa é tirar a venda dos olhos de quem não conhece a verdade, e é para isso e por isso que devemos lutar. Boa leitura.

2020 passa por 2019
No Poder Executivo, o prefeito Pasin mantém ativa a sua agenda de alterações em Cargos de Comissões e secretariado. Nesta semana, a união da pasta de Habitação e Assistência Social com Esportes tornou Eduardo Virissimo uma das peças mais influentes no tabuleiro de xadrez do governo Progressista, ficando com a titularidade de ambas as secretarias. A manobra evidencia a vontade da administração em aproximar Virissimo da comunidade e possivelmente facilitar a escolha de seu nome para substituir Pasin em 2020 no comando de Bento Gonçalves. Entretanto, as eleições do ano passado já mostraram que o páreo será duro. Dificilmente a votação do desportista deve se aproximar a registrada pelo atual prefeito em 2016.

O lado bom
A parte interessante nas trocas promovidas é que, com a pasta de Esportes na mão de Virissimo, existirá economia de recursos em funcionalismo e, além disso, a Secretaria deverá voltar a receber recursos municipais. A pasta tem sido pouco valorizada nos últimos anos, com um dos menores orçamentos do governo municipal, o que influenciou negativamente no cenário esportivo da Capital do Vinho. A alteração vem em boa hora, uma vez que o Governo Federal já realizou cortes nas bolsas para atletas de nível intermediário, que podem encontrar no município um refúgio à manutenção das atividades.

Deguste presidencial
O presidente Jair Bolsonaro tomou posse no Planalto no dia 1° de janeiro, e os vinhos servidos durante o evento eram de vinícolas de Bento. Para a recepção, foram escolhidos dois rótulos do Vale dos Vinhedos: Casa Valduga Espumante 130 Brut e Fausto Pizzato Verve Gran Reserva. Quem sabe o intenso sabor dos vinhos daqui marque o paladar do chefe de estado e ele sensibilize-se com o apelo das vinícolas para redução de taxas e impostos, como o IPI, que deixam o vinho nacional pouco competitivo no mercado e favorece a entrada e compra de produtos estrangeiros.

Lago Fasolo poluído outra vez?
Na última semana, dezenas de peixes foram encontrados mortos no Lago Fasolo, no Progresso. O local, alvo de acordo entre o Ministério Público, Governo Municipal e Corsan, deveria receber manutenção periodicamente, o que, de fato, não ocorreu. Enquanto as amostras de água coletadas no local são examinadas para esclarecer o ocorrido, a situação reacende o alerta para o despejo irregular de esgoto e resíduos poluentes em lagos, arroios e riachos na região. No ano passado, a Fundação de Economia e Estatística (FEE) divulgou uma pesquisa que apontava Bento Gonçalves na 9ª posição dos municípios com maior potencial de poluição da indústria de transformação e extrativa do Rio Grande do Sul. Em 2015, 59,5% do volume total do Estado ficou concentrado em Bento. A situação no Lago Fasolo, que foi limpo há poucos anos pela prefeitura, evidencia que o tempo passa, mas não estamos aprendendo com nossos erros.

Turismo de risco
As estradas do interior viraram uma poderosa moeda de troca eleitoreira Brasil à fora, e por aqui não é muito diferente. O município de Pinto Bandeira é um exemplo das condições de algumas estradas de ligação e escoamento na região. A principal rodovia de acesso à cidade, a VRS-855, deixa muito a desejar. Com poucos locais de acostamento, mas muitos buracos e desafios em um percurso de pouco mais de 20 km, o trajeto é uma barreira ao município, que comporta vinícolas de porte grande – além de uma das pousadas mais atrativas da região – e a responsabilidade de escoar a maior parte da safra de pêssego da Serra Gaúcha. O local já pautou dezenas de encontros entre o Executivo e o Daer nos dois últimos anos, mas os resultados são sempre sorrisos amarelos e promessas vagas de melhorias breves, nunca cumpridas.

Sobre o autor

Cristiano Migon

Cristiano Migon

editoria@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário