Antônio Frizzo

Opinião – Antônio Frizzo

Antônio Frizzo
Escrito por Antônio Frizzo

MUITOS QUEREM ENTENDER…

Tenho ouvido muitas pessoas através de contatos pessoais, redes sociais e telefone. O questionamento me parece pertinente e merece, no mínimo, reflexão, mesmo por parte dos mais fanáticos político-partidários. Esses pululam nas redes sociais e as agressões são ilimitadas, de parte a parte (petistas e antipetistas), nenhum respeitando o direito do outro de ter opinião própria, mas todos têm na “democracia” sua facúndia principal. Mas, alguns utilizaram uma comparação que me pareceu bem colocada. Perguntam eles: “é justo e normal que dentre 150 carros, irregularmente estacionados, somente o teu seja multado e, o pior, guinchado?”

E EU TAMBÉM!

Pois é! Se alguém está acompanhando o desenrolar dos fatos (eu disse FATOS, não posições político-partidárias) que giram em torno da Operação Lava-Jato e do Mensalão, deve ter percebido, tamanho é o escancaramento do que se constata, que há, sim, tratamentos diferenciados para casos idênticos e, mesmo, uns mais contundentes do que outros. Há casos em que as PROVAS dos delitos cometidos são substanciais, abundantes, com filmagens, gravações e delações que sequer são comentadas pela grande imprensa e por órgãos encarregados de coibir tais delitos, independentemente de que sejam ou a qual partido pertençam seus autores. Que está havendo de parte de quem deveria, por força de lei, da Constituição, da ética, da moral e da honestidade tratamento diferenciado dedicado a bandidos e corruptos do mesmo nível e até de alguns dos piores gângsteres brasileiros, é público e notório. Será que é assim que querem “acabar com a corrupção”? Se for, não entenderei jamais, a exemplo de muitos.

VAI A FICAR POR ISSO MESMO?

E para tornar ainda mais difícil entender tudo isso, eis que um ex-membro (foi seu presidente nacional) do Partido Progressista (PP) diz, alto e bom som, para quem quiser ouvir, que “está há 30 anos na política e sempre foi assim, com corrupção e compra de votos”, ou seja, de caixa 2 a tudo o que dele advém. Esse um aí foi condenado e preso (sua pena foi aumentada de 20 anos para 29 anos no TRF/RS), estando em prisão domiciliar, graças a deleção premiada. Mas, afinal, se o que ele disse é verdade – tanto que foi condenado -, por que seus delatados não estão presos também? Será que esse caso, a exemplo de tantos outros, ficará por isso mesmo? A agilidade não é a mesma para todos os corruptos?

ATÉ QUANDO?

Está ficando cada vez mais público e notório que há muita coisa extremamente errada no serviço público brasileiro. Policiais fazem greve não só pelos ridículos salários, mas por não os estar recebendo. Se compararmos os salários de “servidores” ligados aos poderes públicos (todos) se constata verdadeiros absurdos. Ascensoristas do Congresso Nacional recebem (sem atrasos) salários superiores a professores com doutorado; assessores de vereadores recebem o dobro ou o triplo de um policial; “aspones” de deputados e senadores do Congresso recebem SEM trabalhar. Por quanto tempo, ainda, o povo brasileiro irá aturar esse tipo de absurdos?

ENQUANTO ISSO…

Enquanto isso os sonegadores e aqueles que não recolhem os impostos que cobram do povo continuam recebendo benesses governamentais. O SONEGÔMETRO criado pelos auditores da receita federal registrou sonegação de mais, muito mais, de 500 bilhões de reais em 2017. Em 2018, até o dia 12, já foram mais de 16 bilhões. O imposto sonegado é o que empresas cobram do povo e não recolhem aos cofres públicos, o que causa o déficit assombroso que é divulgado, faltando, pois, dinheiro para a saúde, educação, segurança e infraestrutura. Quem sonega não recebe o tratamento adequado (até pela escassez de fiscais e sobra de “aspones”) e quem não paga, atrasando, é brindado com isenções ou reduções de multas e juros. Quem resolverá isso?

A INFLAÇÃO É DE 2,95%

Não, não ria! Esse é o percentual levado a público e enaltecido pelo temer e seus ministros. Quanto aos aumentos quase diários da gasolina e do diesel, fiquemos tranquilos: eles não interferem mais nos índices inflacionários. Nem os do gás, da energia elétrica, comunicações, pedágios, etc. Dizem até que “a inflação não é igual para todos” (só não dizem “como e por quê” só agora é assim). E é melhor o povo brasileiro tomar consciência de que o salário mínimo (que aumentou 1,81%) e os proventos de aposentados (aumentou 2,05%) do INSS são o grande câncer das finanças públicas e esses de renda mais baixa precisam colaborar para resolver o problema. Pior: vai ter quem acreditará que o que escrevi, além dos percentuais, é sério. Então, é para chorar!

Últimas

Primeira
Mais um verão na vida de todos nós e o problema, antigo, se repete: policiais militares (bombeiros e brigadianos) são mandados para a praia na chamada “Operação Golfinho”;

Segunda
E é mais um verão em que centenas de “sem noção” abusarão do mar e os salva-vidas, pagos por todos nós, estarão prontos para salvá-los. A pergunta é: quando será instituída a “taxa de salvamento”? Não dá para todos pagarem a conta do que é utilizado por poucos, não?

Terceira
Bancos fecham agências “por falta de segurança”. Será que é o lucro muito pequeno e os impede de manter segurança própria? O povo, ora, que se dane!

Quarta
Dia 23 de janeiro, na nova sede do CIC/BG, acontecerá o lançamento oficial para a imprensa da EXPOBENTO 2018, às 9h;

Quinta
Pai cheio de ética e moral não se conforma com decisão liminar da justiça que impede sua filha, tão ética e moral quanto ele, de assumir ministério. Chorar é preciso!

Sexta
Grêmio e Inter preparados para enfrentar um difícil “ruralito”. Quem levará o importante título?

Sobre o autor

Antônio Frizzo

Antônio Frizzo

Economista e colunista do Jornal Semanário há 35 anos.
antoniofrizzo@italnet.com.br
www.jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário