Plantão

Operação da Arpa e Polícia Civil apreende armas e objetos de caça ilegal

Ranieri Moriggi
Escrito por Ranieri Moriggi

Uma operação realizada pela  Associação Riograndense de Proteção ao Meio Ambiente e aos Animais (Arpa) e Polícia Civil dos municípios de Veranópolis e Fagundes Varela cumpriu mandados de busca e apreensão após denúncias recebidas pelo fiscal Jorge Luis Acco. As ações ocorreram na quinta-feira, 6 de dezembro, em localidades do interior dos referidos municípios.

O primeiro caso foi registrado por volta das 9h, na Linhas Davis Canabarro, bairro Capela Nossa Senhora do Rosário, em Fagundes Varela, quando as equipes encontraram em uma propriedade duas espingardas, um revólver, munições, duas gaiolas de ferro para captura e três carcaças de tatus congelados. Conforme a ocorrência, as armas e munições estavam no quarto do casal, enquanto que os animais silvestres abatidos estavam em um freezer no galpão da propriedade, onde também estavam as gaiolas. Tanto a carne, quando o material apreendido foi entregue à Arpa. A ação ocorreu após denúncias dando conta de que o proprietário do local estava praticando caça a animais silvestres com uso de arma de fogo.

 

A segunda ocorrência, também por volta das 9h foi realizada na estrada para Linha República, bairro Valverde em Veranópolis, quando em mais um mandado de busca e apreensão, a equipe da Arpa e Polícia Civil apreenderam em uma propriedade rural uma espingarda, calibre 36, cano duplo, uma carabina de ar comprimido, calibre 4,5, um tatu abatido congelado e uma gaiola de ferro para captura do animal. O material de caça e a carcaça do animal foram entregues ao fiscal da Arpa e as armas à polícia. A ação só foi possível, graças à denúncia de que o proprietário da casa e seu filho estavam praticando a caça de animais silvestres com o uso de armas de fogo.

O último caso do dia apurado pelas equipes ocorreu também em Veranópolis, na Linha São José da Nona, por volta das 15h, quando foram apreendidos 15 quilos de peixe congelado das espécies piava, traíra, cascudo, entre ouros, que estavam em um congelador na propriedade. Além disso, quatro redes de pesca foram apreendidas, uma tarrafa e três cartuchos intactos, plásticos, cor amarela, calibre 20, que estavam em uma gaveta na parte superior da residência onde mora o filho do acusado.

Os peixes e o material de caça foram entregues ao fiscal Jorge Acco. A ação só foi possível, graças às denúncias de que o investigado estaria praticando a caça e pesca ilegal de animais silvestres, no período da desova, com materiais proibidos por lei.

 

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário