Antônio Frizzo

O que dirão agora?

Antônio Frizzo
Escrito por Antônio Frizzo

O QUE DIRÃO AGORA?
Há mais de 15 anos estou afirmando e assinando embaixo que não há virgens na zona politica brasileira e que os partidos políticos são todos farinha do mesmo saco. Por pensar assim, obviamente por conhecer os fatos não só pela mídia e redes sociais brasileiras, mas por viver neste País há décadas, acompanhando o que acontecia e acontece diuturnamente, inclusive na imprensa do exterior, não foi difícil chegar a estas conclusões e isso me valeu, de parte de alguns que abraçaram seus partidos de estimação, o qualificativo de “petista”, já que eu não detonava apenas gente do PT, mas TODOS os corruptos.

FICARÃO SILENTES?
Claro, enquanto eles e boa parte da população demonizavam o PT e os petistas, eu continuava a afirmar que a corrupção era endêmica no Brasil. O “mensalão” teve sua origem no governo do PSDB, apoiado, notadamente, pelo PP e PMDB (esses dois estão no poder desde 1964, com suas “figurinhas carimbadas”) e teve sequencia nos governos petistas, apoiados pelo PP e PMDB – interessante, não? -, que, agora, formam, novamente, o “triunvirato partidário” no poder – mais interessante ainda, não? -, mas os ladrões da década de 1990 somente agora começaram a ser condenados. O “santinho”, Aécio Neves (aquele que motivou muitos a vestirem camisas com a inscrição “Não tenho culpa, eu votei no Aécio”), já foi indiciado muitas vezes e, agora, teve processos enviados para a 1ª Instância da justiça. Por que será? Para prescrição? Seus admiradores, que juravam ser ele honesto, ficarão silentes?

OU ACEITARÃO OS FATOS?
Pois é, estamos sendo minados, diariamente, pelas denúncias de falcatruas, corrupção e ladroagens de gente do PSDB, PP, PMDB, PT e outros, com PROVAS, vídeos, áudios, malas, etc. Mas, ainda há os que querem porque querem que sejam só petistas os protagonistas da “maior corrupção da história do mundo”, enquanto seus “ladrões favoritos” sequer citam, em momento algum. Quando Paulo Francis denunciou as roubalheiras na Petrobras, em 1997, seus patrões da TV o mandaram para longe, para Nova Iorque. Quando surgiram as primeiras denuncias do “mensalão do PSDB”, a grande imprensa fingiu que não via, assim como muitos políticos “honestos”. O que dizem eles e seus seguidores e admiradores agora?

MAS, TÊM MAIS!
Sim, muito mais. Denuncias das roubalheiras ocorridas nos governos militares, tidos por muitos como “honestos”, pipocam mundo afora. Naqueles governos – apoiados pelo Sistema Globo, que assumiu e pediu desculpas ao povo brasileiro por isso -, nada podia ser publicado, escrito ou falado, sem PASSAR PELO CRIVO DA SENSURA. A roubalheira passava batida. Mas, ainda há que, hoje, acredite que Itaipu, Ponte Rio-Niterói, rodovia Transamazônica e dezenas de outras obras públicas – grande parte construídas com empréstimos internacionais em dólares do FMI – foram feitas “SEM CORRUPÇÃO”. Isso tudo veio à tona com a divulgação daqueles que participaram do golpe civil-militar-midiático: os Estados Unidos. Já sabíamos das torturas e assassinatos e da corrupção, até com os nomes de alguns “dos bois”. O que falta, ainda, para a conscientização do povo brasileiro que essa podridão toda vem de décadas e que nenhum partido pode ser excluído dela?

E NÓS, AONDE VAMOS?
A nossa Bento Gonçalves está sendo alvo de uma sequência de denúncias. Tivemos o “caso dos funcionários da câmara”, que teriam feito empréstimos para “devolver” dinheiro dos salários a vereadores; tivemos os “casos dos concursos públicos” da prefeitura e da câmara; o “caso do desvio de 300 mil por funcionária”, em 2012. Enfim, Bento foi notícia negativa em vários “casos”. Mas, afinal, quais as conclusões disso tudo? A “presunção da inocência” tem sido invocada (claro que as pessoas pensam assim quando é para “livrar a cara” dos “amigos”, ou seja, “aos amigos, tudo; aos inimigos, os rigores da lei”), o que está correto. Mas, a população quer saber a respeito disso, principalmente agora que temos as denuncias do “caso do Plano Diretor”. As imagens do Ministério Público em ação na Câmara e Vereadores chocou a população. Ela merece saber tudo a respeito. Ou não?

OS COMBUSTÍVEIS E PARENTE
Será que um “grande administrador”, um “CEO” renomado como Pedro Parente não sabia que, em muitos países do mundo, onde aumentaram absurdamente – como aqui – o preço dos combustíveis, ocorreram revoltas e paralizações da população? Ele pensou, mesmo, que por Temer – que pensa ser “dono do poder” – lhe ter dado “carga branca” na Petrobras, ele poderia “tirar o couro do povo brasileiro”, saqueando seus bolsos assim, sem mais, nem menos, e que todos ficariam quietos?

ÚLTIMAS

Primeira
A senadora Ana Amélia Lemos, na reunião-almoço do CIC/BG, foi questionada por mim. Afirmei, com certeza, que o PP, seu partido, era o que tinha mais corruptos indiciados e condenados na Lava Jato;

Segunda
Perguntei-lhe se, por isso, ela se sentia desconfortável em conviver com seus pares nessas condições. A resposta foi: “Eu sou honesta, por isso me sinto à vontade”;

Terceira
Gostaria de lhe ter perguntado, também, o porquê de não detonar seus colegas de partido com a mesma intensidade com que o faz com adversários políticos. Não tive a oportunidade;

Quarta
Perguntar-lhe-ia, também, como se sente com seu partido apoiando e participando de um governo com tantos iniciados e investigados por corrupção. Também não foi possível;

Quinta
Governo Temer quer retornar impostos sobre folhas de pagamento de vários setores. Com desemprego nas alturas, não seria melhor cortar gastos e privilégios nos setores públicos?

Sexta
E que tal aumentar impostos sobre o fumo e sobre grandes fortunas? Sim, sei! Os “donos do Brasil” não permitem!

Sétima
Grêmio e Inter em igual posição na tabela, mas só o Inter pode chegar ao título, já que o Brasileirão é o único que disputa. Ou nenhum conseguirá?

Oitava
Estamos em tempo de EXPOBENTO! Visite e prestigie!

 

 

Sobre o autor

Antônio Frizzo

Antônio Frizzo

Economista e colunista do Jornal Semanário há 35 anos.
antoniofrizzo@italnet.com.br
www.jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário