Blog Henrique Alfredo Caprara

O Mobi Caxias / O Bento+20

O MOBI CAXIAS
A cidade de Caxias do Sul constituiu um movimento suprapartidário que denominou de MOBILIZA CAXIAS ou MOBI-CAXIAS. O foco principal é a construção do aeroporto de Vila Oliva, a duplicação da Farroupilha- Vendelino, a construção de porto em Torres, a retirada de Caxias da Rota da Uva e do Vinho e sua inclusão na Rota das Hortênsias (Caxias – Gramado – Canela – São Francisco – Aparados da Serra) a partir do que o Município desenvolverá um plano de desenvolvimento turístico “inclusive para recuperar o terreno perdido para Bento” foi dito. É claro que nestes objetivos se inclui a melhoria das estradas vicinais e a duplicação da Rota do Sol. O MOBI-CAXIAS ainda não decidiu o que vai fazer com a Festa da Uva, que não tem nenhuma participação de verba do Poder Público, por enquanto decidiu não realizá-la no ano que vem, o que atende as conveniências de Bento. O Prefeito de Caxias, polêmico na sua essência humana porém parece correto na aplicação do dinheiro público com tanta firmeza que anunciou estar convicto de que faz uma excelente gestão, mesmo cercada de controvérsias. Porque falo do que Caxias vai fazer?

Porque quando levamos em conta as palavras do Presidente do CIC de Bento de que “não podemos pensar só no nosso quintal” é importante levarmos em conta o que Caxias vai fazer. Do que ele disse que vai fazer nos interessa, apenas, a rigor, a melhoria das estradas sem desatenção ao fato de que temos que lutar firmes e convictos pela duplicação do Bento – Vendelino com o que o Aeroporto Salgado Filho, um dos melhores do país, será uma alternativa bem melhor do que Vila Oliva e, esse nosso interesse não coaduna com o interesse de Caxias. O Vila Oliva só nos interessa no transporte de cargas se é que terá também esta característica. O Porto de Torres também nos interessa muitíssimo, é “uma ponte longe demais” mas não podemos menosprezar a força de Caxias e do Senador Heinze o padrinho da ideia. De resto somos concorrentes de Caxias, eles que lutem pelas coisas deles e nós pelas nossas. Veja a extrema necessidade da organização de uma “força tarefa” como tínhamos aqui nos tempos áureos de nossa comunidade social, econômica e política. Por enquanto nós estamos naquela de “mobiliza CIC, que eu, Prefeito, apoio”. Quem realmente representa nossa comunidade em torno dos seus interesses e do atendimento das nossas necessidades básicas, a partir do momento em que equacionamos Fenavinho-Esportivo? O Prefeito – é notório, se mobiliza prioritariamente para uma eleição a Deputado Estadual que, considerando nossas carências é, de certa forma, aceitável. O que não se pode aceitar, neste contexto, é que um Prefeito tenha uma filosofia fundamentada no princípio “eu faço o que eu quero, quando quero e como quero”, com o que não haverá debates, não haverá divisão de responsabilidade em relação ao que será feito ou deixará de ser feito, nem com a comunidade e nem com a fragilizada Câmara de Vereadores na sua essência democrática como poder constituído.

Sem dúvida estamos diante de um Governo Municipal autocrata, nem tão pecaminoso, nem tão elogiável”.

O BENTO +20
Há alguns meses atrás fomos surpreendidos com um movimento originário do seio dos engenheiros e arquitetos de Bento (AEARV – ASCON VINHEDOS) que levou a efeito encontro na sede do CIC, tendo como conferencista o ex-prefeito de Maringá, hoje consultor a nível internacional, que recuperou aquela cidade que estava no bagaço tornando-a referência nacional em termos de gestão pública. Ele nos surpreendeu dizendo que os números de Bento eram patéticos, que haveria necessidade de um planejamento. O Prefeito Pasin, estava sentado na primeira fila. O movimento tomou corpo. Uma representação foi até Maringá, reuniões foram feitas, projetos preliminares elaborados e o BENTO+20 foi oficializado, em sua constituição, pela Câmara de Vereadores.

A entidade ou movimento, foi constituído e seu corpo abriga entidades representativas do município, inclusive o Poder Público através do Ipurb, Financeiro, Desenvolvimento Econômico e Prefeito. Não vi a Câmara nessa constituição, estranho. Passaram-se seis anos da Gestão Pasin e não vimos nenhum planejamento tomando corpo e, quando “o cavalo do planejamento passou encilhado ele monta com sua equipe?” Menos mal, não é? Quem sabe agora nossa gurizada saberá se teremos empregos nos próximos 20 anos; se vamos continuar a plantar árvores e vender áreas verdes; se vamos ter melhorias no nosso trânsito e sistema viário porque parece que a Secretaria “le morta”; se obras, e quais, estruturais, serão feitas; se vamos ter um Parque Público; se vamos acabar com a saúva (gangues e banditismo) ou a saúva vai acabar com Bento; se vamos ter geração de empregos e de que forma; se vamos ter um projeto turístico ou apenas continuar com movimentos turísticos; se vamos controlar a migração e suas ocupações desenfreadas e, por aí vai. Acho que vai haver muita encrenca no seio dessa entidade, a presença do Prefeito nela nos leva a questionar: Prefeito “se qui-lo porque já não fí-lo?”

Outra constatação: o BENTO+20 parece ter enterrado de vez o Viva Bento, o projeto agonizante foi visto “na UTI do Tacchini”. Finalizando: salve os novos Messias de Bento, liderados por Milton Milan, Diego Panazzolo e Adelgides Stefenon, sob tutela do CIC.

Sobre o autor

Henrique Alfredo Caprara

Henrique Alfredo Caprara

Diretor do Sistema S de Comunicação
www.jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário