Blog Henrique Alfredo Caprara

O Caldeirão Político – Parte 2 / MDB – Morando com o inimigo / PDT Vai De Sangue Doce / Os Protagonistas / Fórum da Federasul

Ranieri Moriggi
Escrito por Ranieri Moriggi

O Caldeirão Político – Parte 2
Os acordos políticos de hoje podem não valer amanhã e, os acordos de amanhã, fundamentados no hoje podem também não valer. Não entenderam? Nem eu, difícil entender mas política é assim.

Me consta, e a fonte é confiável, que Pasin prometeu ao PSDB que o candidato a Prefeito da coligação sustentada por ele, seria do PSDB, na próxima eleição a Prefeito.

Embora tenha feito ensaios com Virissimo, de seu partido, o Prefeito parece tender agora a apoiar Diogo Siqueira, seu Secretário de Saúde, que é do PSDB, restando a busca de um Vice-Prefeito, que pode até vir a ser Paulo Caleffi, explico porque. Paulo sustentava pontos de vista divergentes em relação a postura política e comportamento do Presidente de seu partido e este com ele. Por outro lado, o Prefeito, que está articulando sua candidatura a Deputado Estadual, em relação a sua sucessão na Prefeitura adota postura liberal sendo porém, não muito simpático a Paulo Caleffi. Dentro deste cenário os partidos coligados debaixo do guarda-chuva do Prefeito, arriscam-se a conversações daqui e dali em busca de melhores perspectivas políticas. Mas, anotem, nada de novo vai acontecer, PP, PSDB, PTB, DEM, SDB, PSD, PRB, REDE, PPS, PR, todos vão estar coligados em torno da dupla Siqueira-Caleffi. Caleffi, que em sua cápsula espacial fora da nave mãe (partido) fazia voos no universo eleitoral, preconizava, obtendo simpatias, ser um candidato diferenciado, independente, de ideias superiores, e procurava um novo lugar chamado partido legal assim como uma coligação que lhe pudesse fornecer um vice “bom de votos”. Retornou a base mãe reacoplou (se entendeu com o Presidente do PSD, seu partido) e decidiu: não vamos tumultuar agora o processo eleitoral, vamos deixar Pasin governar em paz pelo bem de Bento. Simples assim, por ora.

MDB: Morando com o inimigo

Alcindo Gabrielli e César Gabardo não conseguem chegar a um entendimento. Gabardo sugeriu o pai, Mário, como candidato a Presidente do partido, não foi acolhido. Gabrielli sugeriu o vereador Idasir dos Santos, chegado ao Prefeito Pasin de quem recebe atenções. Os Gabardo (pai e filho) vetaram, e sugeriram Cedenir Postal, que é o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Postal que na eleição venceu, em pleito acirrado, a Pepista Inês Fagherazzi Bettoni. Deixaria Postal o Sindicato para presidir o MDB? Gabrielli não parece ver nele um candidato ideal.

Cogitaram inúmeros nomes, todos considerados em idade adequada ou já “sem tesão pela política”. Os Gabardo estão se fortalecendo, filiando gente, querem vencer Gabrielli em eleições do diretório, “afastando” do cenário também os dois Vereadores.

Gabrielli não abre mão da candidatura, diz que vai lutar para um entendimento nesse sentido, se não conseguir é possível até que migre para um partido no qual possa exercer plenamente sua soberania. E procurar “um partido que lhe forneça um candidato a vice bom de voto”, ou seja, o vice ideal. Afastando Gabrielli, Gabardo torna-se, naturalmente, o candidato do MDB. O MDB poderá ser forte se César e Alcindo se entenderem, encontrando um Presidente “comum aos dois”. A fórmula mais adequada, pela leitura que faço, é que Gabrielli concorra a Prefeito, coligado com um vice de outro partido e Gabardo a Deputado. Gabrielli é o único candidato do MDB em condições de atrair Piva, do PDT, como candidato a Vice, sucedendo depois Gabrielli como Prefeito. Um desentendimento esfacelará o MDB, somando pontos para a coligação de Pasin.

PDT vai de sangue doce
O Deputado Federal Marlon Santos, carrega nas mãos 4 mil votos em Bento e poderá canalizá-los para o candidato de seu partido. O Vereador Camerini pode obter uma projeção de 4 mil votos para Vereador. Juarez Piva, o ícone dos candidatos do partido, faz um perfil de cordialidade, amabilidade, é participativo e benfeitor da comunidade. Poderá ser o candidato vice de Gabrielli ou Gabrielli vice dele. Com Gabardo candidato a coligação com o PDT não se concretiza.

Os protagonistas

Os protagonistas políticos do futuro em Bento Gonçalves devem ser, para Deputado Estadual, Prefeito Pasin, para Prefeito ou vice; Paulo Caleffi, Diogo Siqueira, Virissimo, Pasqualotto, Amarildo Lucatelli, César Gabardo e Alcindo Gabrielli. Para Deputado Federal poderia despontar Paulo Caleffi que já está lá como suplente de Danrlei.

Egressas na política, essas lideranças dariam um upgrade no universo político de Bento. Com um desses nomes à deputação afastaríamos a evasão de votos em torno de candidatos de fora de Bento, e resgataríamos pelo menos uma cadeira na Câmara Federal e uma na Assembleia. Temos que propiciar debates e acordos para que isso aconteça, o cenário político tem que ser compartilhado pelos partidos com comunidade através de suas lideranças mais expressivas e com possibilidade eleitoral. Temos que construir uma nova Bento, inclusive através da representatividade política.

Fórum da Federasul
A Federação das Associações Comerciais do RS sempre andou como um veleiro especialmente nas mãos do legendário Anton Karl Biedermann. Agora, sob a liderança de Simone Leite, anda como uma lancha de competição. Simone é carismática, proativa, não tem medos, é bem conceituada, tem trânsito. Ela debate com naturalidade os problemas do estado e do país, aponta caminhos, soluções, traz temas para debate, dignificou a Entidade e sua ação tem inúmeros admiradores e seguidores. Aqui em Bento, fãs de carteirinha dela são Antonio Longo e Paulo Geremia. Nesta quinta estive presente no FÓRUM FEDERASUL EM TRANSFORMAÇÃO, levado a efeito no CIC com a presença de lideranças empresariais, nem tanto quanto devia, mas significativas quanto a sua representatividade. Concluídos esses FURUNS pelo estado a Entidade vai levar a efeito em Gramado um CONGRESSO que vão envolver inclusive as 157 entidades congregadas em torno da FEDERASUL. Essas ações nos fazem bem, aliás com o Congresso da MOVERGS e esse FÓRUM FEDERASUL levei um “banho de saber” que me confortou. Disse Simone Leite “a classe produtiva não pode se omitir nem se acovardar” no que tem absoluta razão. “Levanta gaúcho, todos precisam andar, minuano está chamando o Rio Grande precisa escutar”!

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário