Antônio Frizzo

O bode na sala

Antônio Frizzo
Escrito por Antônio Frizzo

O BODE NA SALA
Todos conhecem a história do “bode na sala”. A semelhança com que as chamadas “otoridades competentes” estão fazendo com nossas rodovias será “mera coincidência”? Ou é fato comprovado? As rodovias brasileiras – inclusive as estaduais – sempre foram construídas, asfaltadas e mantidas com o dinheiro dos nossos impostos. Aí o PSDB assumiu o governo federal, tendo como aliados os indefectíveis PP (ex-ARENA) e MDB (ex-MDB e ex-PMDB) que, depois, aliaram-se ao PT e agora voltaram a governar. Sem o menor constrangimento, passaram a entregar empresas estatais a preço de bananas. Nem preciso mencionar as aberrações praticadas. Não satisfeitos, decidiram pedagiar as rodovias prontas e em bom estado, com tarifas pré-anunciadas (não “o melhor serviço pelo menor preço”, como seria de se esperar), cedendo-as a concessionárias cuja obrigação era, no mínimo, ridícula na contrapartida das tarifas absurdas do pedágio cobrado.

O BODE NA SALA II
Aqui, no RS, o “competente” antonio brito cercou as principais cidades com pedágios a preços de Europa e Estados Unidos, sem qualquer exigência contratual sem ser a manutenção (que sempre deixou a desejar). Durante vinte anos nos cobraram uma montanha de dinheiro. A BR-290, de Porto Alegre a Osório, teve aumento no número de pistas e outros benefícios, mas nada que justificasse o valor das tarifas. Vencida a concessão, eis que a Free Way, começa a se deteriorar rapidamente. Claro que a “imprensa amiga” passou a exigir novo pedagiamento, com a alegação do “ruim com ele, pior sem ele”, ao invés de EXIGIR DOS GOVERNANTES os investimentos que deveriam dar em retorno dos bilhões que arrecadam dos proprietários de veículos. Mas, surgem as primeiras suspeitas dos maus serviços na Free Way.

O BODE NA SALA III
Pois bem, passado o período das concessões, todas as rodovias DEVERIAM ser de responsabilidade dos governos. Nada! Eles as deixam ao “deus dará”, ou seja, colocam “O BODE NA SALA”, na medida em que se enchem de buracos. A imprensa “amiga” vota à carga e ajuda os governantes incompetentes a retomarem os pedagiamento. Ignoram que a BR-101, de Torres a Osório foi duplicada e a BR-448, Rodovia do Parque, construída, tudo SEM pedágios. Agora, prontas, eis que, com o “bode na sala”, querem porque querem entrega-las ao pedagiamento. O povo a tudo assiste, passivamente. Até quando isso continuará? Até quando o povo permitirá tais absurdos? Falta dinheiro para tudo, no Brasil. Mas, não falta nada aos “amigos”. Basta sempre apenas tirar “os bodes da sala”.

BRINCAM COM O BRASIL!
Nesta semana o povo brasileiro (aquele que enxerga um palmo da frente do nariz) foi surpreendido por esse cara que desgoverna o Brasil há alguns anos. Antes esse sujeito aí inventa uma Emenda Constitucional (95/2016) e seus asseclas do Congresso Nacional aprovam, estabelecendo que, por VINTE ANOS, as contas públicas não poderão aumentar. A partir de 2018, os gastos federais só poderiam aumentar de acordo com a inflação acumulada conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A inflação a ser considerada para o cálculo dos gastos seria a acumulada em 12 meses, até junho do ano anterior. Assim, em 2018, por exemplo, a inflação usada seria a medida entre julho de 2016 e junho de 2017.

ATÉ QUANDO?
O regime valeria para os orçamentos fiscal e da seguridade social e para todos os órgãos e Poderes da República. Dentro de um mesmo Poder, haveria limites por órgão. Existiriam, por exemplo, limites individualizados para tribunais, Conselho Nacional de Justiça, Senado, Câmara, Tribunal de Contas da União (TCU), Ministério Público da União, Conselho Nacional do Ministério Público e Defensoria Pública da União. Escrevi tudo na condicional porque esse sujeito que se instalou no poder resolveu fazer um “acordo” (?) com o STF.

ISSO AÍ É PRESIDENTE?
Temer ignorou tudo e vai conceder aumento aos ministros do STF, de 16,38%. Até os pardais da Praça Vico Barbieri sabem o “efeito cascata” desse aumento. Mas, eles, os pardais, gostariam de saber o que foi feito com a Emenda Constitucional que limitava os gastos por VINTE ANOS. Temer, rejeitado por 90% da população que não é omissa, está criando uma despesa BILIONÁRIA para os presidentes que virão. O povo? Ora, o povo “não vê”, “não sabe”, etc. Só será chamado a pagar os bilhões, o fará sem saber o porquê e continuará criticando nos lares e nos bares.

ÚLTIMAS

Primeira
Decisão do Supremo a favor de Serra pode beneficiar ex-diretor Paulo Preto. STF entendeu que acusações contra senador caducaram porque ele tem mais de 70 anos;

Segunda 
Bem, para quem acompanha as falcatruas brasileiras, não há surpresa nisso. O PSDB tem se notabilizado pela impunidade de alguns de seus membros;

Terceira 
Em dezenas de anos dos governos do PSDB, o “trensalão”, o “merendão” e o “rouboanel” seguiram seu rumo, impunes. Ser “tucano” é outro departamento!

Quarta
A Liga de Combate ao Câncer, presidida por Maria Lúcia Severa, juntamente com dezenas de voluntárias, viu seu imenso esforço e sacrifício pessoal coroados de êxito diante do sucesso da 20ª Comenda Eles na Cozinha”;

Quinta
Mais de 1.200 pessoas colaboraram comprando ingressos da Liga para esse grande festival gastronômico. Cozinheiros e patrocinadores também merecem cumprimentos;

Sexta
O STF diz que “a terceirização das atividades-meio” é CONSTITUCIONAL. Perguntar não ofende: STF, isso vale para os poderes executivos, legislativos e judiciários?

Deverá valer, já que “são todos iguais perante a lei”, não? O povo terá muitas sugestões a dar. E um “viva!” para a reforma trabalhista, se valer para TODOS;

Oitava
Colorados comemoram contratação de Guerrero e a quase conquista do título brasileiro. Já os gremistas, depois do sufoco do Estudiantes, ressurgem otimistas na Libertadores. O futebol gaúcho está em alta;

Nona
Um agradecimento especial ao Carlos Lazzari, da Pratomil, pela cedência anual das instalações de sua empresa a minha equipe de cozinheiros do “Eles na Cozinha”;

Décima 
Garibaldi promove “cercamento eletrônico” com câmeras de segurança. Bento, que vê recrudescer a criminalidade e teve essa promessa, já está disponibilizando-a à população? Temos “cercamento eletrônico” funcionando?

Sobre o autor

Antônio Frizzo

Antônio Frizzo

Economista e colunista do Jornal Semanário há 35 anos.
antoniofrizzo@italnet.com.br
www.jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário