Cultura

“O amor sempre vai estar na moda”

Ranieri Moriggi
Escrito por Ranieri Moriggi

Banda bento-gonçalvense traz em seu estilo forte ligação musical com o movimento Jovem Guarda, mesclando modernidade e inspirações dos anos 60

Desde os idos de 1950, o cenário musical brasileiro passou a vivenciar a popularização dos meios de comunicação e com eles a propagação de manifestações culturais de outros países, como foi o caso da Jovem Guarda, onde letras que destacavam o amor e conteúdo mais leves, faziam a cabeça dos jovens. A partir dessa popularização, o público pode experimentar novas maneiras e formas de expressão em seus cotidianos. Prova disso foi no campo musical, onde a juventude se identificava com as músicas e letras de Elvis Presley, Chuck Berry, Beatles e Rolling Stones. Passados mais de meio século, a paixão por esse estilo musical ainda permanece e faz novos fãs, de diferentes faixas etárias.

É o caso da banda bento-gonçalvense Jogo Sujo, formada em 2007, com a proposta de exaltar o amor, utilizando o estilo da Jovem Guarda e do famoso rock anos 60 e que em 2017 lançou o seu mais novo trabalho intitulado “Embriagado de Amor”, disco que retrata 10 histórias apaixonantes, e que mostram na realidade os conflitos vividos por quem ama.
Formada por Márcio Moraes (voz/guitarra), Alex Reck (guitarra/voz), Jacson Strapazzon (baixo/voz) e Matheus Carrer (bateria), a banda se prepara para rumar à São Paulo, com o objetivo de levar a sua arte para a maior cidade da América Latina. Conforme Marcio Moraes, o grupo ganhou notoriedade após ser indicado ao prêmio Açorianos de Música em 2017. “Essa é a segunda vez que vamos à São Paulo. A primeira foi em março, após a indicação para os Açorianos. Agora, recebemos o convite por intermédio da nova produtora após a repercussão do lançamento do nosso último single, intitulado, Fernanda”, explica.

Além da turnê na capital paulista, a Jogo Sujo, foi destaque em diversos festivais que participou, entre eles o “Bairrista” e com isso, a procura por informações e o número de admiradores do trabalho da banda também aumentou. Conforme Moraes, o trabalho é bem recebido tanto na Serra Gaúcha quando nos lugares onde o grupo tem passado. “As pessoas buscam escutar as músicas que falam do coração, ultimamente, com tantas coisas ruins acontecendo”, aponta.

O último trabalho da banda contou com participações de artistas de renome no cenário musical gaúcho, como Frank Jorge na faixa A Mais de Cem, King Jim (Garotos da Rua) e Tchê Gomes (TNT/Tenente Cascavel) na música Rock and Roll (A solução dos seus problemas). Para o futuro, Moraes explica que a Jogo Sujo deve fortalecer o trabalho fora do Rio Grande do Sul. “Logo iremos divulgar datas de Festivais importantes em outros estados e um possível tour para o México e Argentina no próximo ano”, ressalta.
Indagado sobre o cenário musical brasileiro, Moraes aponta constante transformação, obrigando os músicos a se adaptem às novas realidades. “A banda iniciou há 10 anos, muita coisa mudou. Mudamos também. Mas acreditamos que o amor sempre vai estar na moda”, garante.

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário