Empresas

Mercado de Trabalho: aumenta a demanda por qualificação

Ranieri Moriggi
Escrito por Ranieri Moriggi

Diretor da Infoserv, Roberto Carraro, destaca os avanços da tecnologia de informação e as ofertas de emprego na área

Mesmo em tempos de crise e desemprego, um setor continua a oferecer vagas e salários atrativos no mercado de trabalho: é o de tecnologia da informação, mais conhecidos por TI. Durante o período de recessão, as vagas continuaram sendo oferecidas, porém, há uma exigência nisso tudo. É preciso ter qualificação para conquistar a tão sonhada vaga de emprego. A qualificação da mão de obra é o diferencial que as empresas colocam em primeiro quesito quando o assunto é contratação profissional da área. E não importa se é o primeiro emprego. A função exige conhecimento e atualização constante. Para suprir a demanda e proporcionar uma oportunidade entre jovens e empresas, escolas profissionalizantes investem em alguns programas de formação de jovens, que ainda não estão preparados, para conquistarem o tão sonhado primeiro emprego.

Enquanto muitos setores da economia ainda seguem demitindo ou caminhando para uma leve recuperação, na área de tecnologia falta gente com capacitação para ocupar as vagas oferecidas. Segundo o diretor da Escola Infoserv, Roberto Carraro, semanalmente há pedidos de empresas solicitando o recrutamento de alunos para possíveis contratações. Em virtude desse cenário positivo, Carraro explica que a Infoserv precisou reforçar o corpo docente e aplicar estratégias, a fim de suprir as necessidades que a demanda de alunos passou a exigir. “Inúmeras empresas nos ligam pedindo indicações de alunos que estão se qualificando em nossa escola. E precisamos oferecer professores altamente qualificados, que possuam certificação e que exerçam funções dentro da área”, explica.

Conforme Carraro, pela região ser ícone nos polos moveleiros, metalomecânico, vinícola, entre outros, os cursos mais procurados na Infoserv são voltados a automação de programas, como o AutoCad, SolidWorks, Revit, entre outros e, em consequência, a procura pelas aulas aumenta. “Pela grande quantidade de empreendimentos, a busca por profissionais qualificados também aumenta. Temos percebido também o alto número de alunos inscritos nos cursos voltados a essas áreas”, ressalta.

Incentivo à empregabilidade

Constantemente, segundo Carraro, a Infoserv realiza o trabalho de indicação de alunos, em especial, àqueles que estão chegando agora no mercado de trabalho, em seu primeiro emprego. Além disso, visando oportunizar espaços para todos, o empreendedor auxilia alguns estudantes que não teriam condições de pagar pelo curso oferecido. “A escola é preocupada com esse lado social, de poder colaborar e desenvolver o futuro desses jovens, com melhores condições de vida e de trabalho. Isso é uma questão que priorizamos aqui”, garante.

Carraro destaca que a possibilidade de conquistar um emprego após a capacitação na escola possui altos índices de probabilidade. “Isso é um fato comprovado. A quantidade de empresas que contatam a Infoserv para a busca de profissionais é muito grande e estamos conseguindo suprir essas necessidades, indicando e empregando nossos alunos dentro de várias áreas como a engenharia, tecnologia, criação”, afirma. O empresário diz ainda que o mercado está aquecido e cada vez mais demanda que o profissional busque qualificação. “Nós temos aqui nos murais da escola, vagas muito boas, de grandes empresas da cidade e da região, que solicitam cursos específicos. E isso tendo a aumentar”, garante.

Para o diretor, a Infoserv possui esse perfil de ser propagadora do conhecimento e ao mesmo tempo ser uma facilitadora da inserção de novos talentos no mercado de trabalho, independente da área de atuação. “Essa é a nossa meta: poder ajudar essas pessoas que estão se qualificando pelas nossas escolas a conseguirem realizar os seus sonhos, sejam eles pessoais ou profissionais”, destaca.

Perfil do Candidato

Conforme Carraro, geralmente, as empresas pontuam algumas qualificações mínimas para que o candidato a vaga de emprego esteja apto a participar dos processos de seleção. Entre as solicitações estão a indicação de cursos específicos já concluídos ou em andamento pelo candidato, e, muitas vezes, que a pessoa já esteja cursando o ensino superior. “A pessoa precisa estar em constante qualificação. Isso é fato”, ressalta.

Importância da Tecnologia

A tecnologia, cada vez mais presente no dia a dia está acessível a vários níveis da sociedade. Isso acaba sendo percebido diariamente e, segundo Carraro, no futuro, quem não estiver se adaptado a esse novo cenário sentirá os efeitos dessa escolha. “Não tem como ficar fora da tecnologia. Então, aqueles que não buscarem uma atualização, com certeza, sentirão as dificuldades que surgirão ao longo do tempo”, afirma.

Crise econômica no setor de TI

Os últimos anos foram de intensa recessão econômica em grande parte dos setores da economia brasileira. Para Carraro, o problema respingou também na área da tecnologia, com a redução de investimentos aplicados para a aquisição de equipamentos. Por outro lado, a houve aumento na demanda pela busca em qualificação. “Como nos demais setores afetados pela crise, houve essa readequação, uma seleção em busca daqueles que estavam mais qualificados para permanecerem no mercado”, lembra.

Perspectivas globais

Em relação a valores, a estimativa é que os gastos globais das empresas com TI totalizem US$ 3,7 trilhões em 2018 – um aumento de 4,3% em relação aos US$ 3,5 trilhões estimados para 2017. A maior parte desses números é relacionada com software (projeção de crescimento de 8,5% em 2017 e mais 9,4% em 2018) e serviços de TI (4% de crescimento estimado para 2017 e 5,3% para 2018).

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário