Política

Mauro Pereira: “A Serra é a locomotiva do Estado”

Ex-parlamentar ressaltou a importância da região no desenvolvimento socioeconômico e analisou o cenário político do país

Há pouco mais de cinco meses para o pleito eleitoral que irá escolher os novos deputados estaduais e federais, governadores, senadores e o presidente da República, o assunto começa a ganhar força nas rodas de conversa do país e também nas redes sociais, principalmente, quando o assunto é na escolha dos representantes. Em visita ao Sistema S de Comunicação, ocorrida no sábado, 5 de maio, o ex-deputado federal Mauro Pereira (MDB), fez uma análise sobre o cenário político atual, após o desenrolar da operação Lava-Jato, bem como, a situação em que o seu partido se encontra. Pereira falou ainda sobre o governo do Estado e o trabalho que desenvolveu ao longo dos seus três anos e dois meses como representante da Serra Gaúcha na Câmara Federal. Em sua visita, Pereira ressaltou a importância da região no contexto econômico do Rio Grande do Sul. Pré-candidato nas eleições desse ano, Pereira afirma que vai continuar auxiliando municípios que necessitarem de suporte para buscar recursos na esfera federal.

O mdebista falou sobre alguns pontos que foram destaque ao longo da atuação da Justiça no desencadear da Operação Lava-Jato. Pereira argumenta dizendo que nos últimos quatro anos, houve um trabalho intenso do juiz Sérgio Moro, Procuradoria Geral da República e Supremo Tribunal Federal. “Foram mais de 300 pessoas entre políticos, empresários que foram indiciados. O Brasil está sendo passado a limpo”, afirma. Questionado se estas ações vão ao encontro das mudanças exigidas pela sociedade, o ex-parlamentar afirma que os avanços conquistados foram importantes, principalmente quando se fala de que apenas políticos com ficha limpa poderão ser candidatos.

“É um diferencial importante para que a nossa cidadania possa escolher bem o seu candidato”, observa.
Com o desencadear das ações que visam responsabilizar os culpados por desvios de dinheiro público, grande parte dos partidos políticos tiveram seus nomes envolvidos na Lava Jato. Entre eles, o MDB, partido de Pereira. Ele afirma que independentemente de partido, cada pessoa deve ser responsável pelos seus atos. Ele ressaltou a importância da sigla para a redemocratização do país e enfatizou que por ser um partido grande, que integra diversas pessoas de vários segmentos da sociedade e, em alguns casos, de pessoas mal intencionadas. “Aquele que estiver no MDB e que cometeu crime, ele tem mais é que pagar. Nós temos, graças a Deus, no Rio Grande do Sul políticos honestos, bons e que são respeitados no país. Pessoas que de alto nível, como existem em todos os demais partidos. Eu sou uma pessoa que não defende quem faz coisa errada. Fez errado, tem que pagar”, ressalta.

Exercendo a função de deputado federal durante pouco mais de três anos em Brasília, Pereira destacou as conquistas para Bento Gonçalves e cidades vizinhas, entre elas, a liberação de recursos do governo Dilma que estavam parados, além de novos projetos. Para Pereira, a região precisa ser vista pelos agentes públicos de forma diferenciada pela importância que possuem no desenvolvimento do estado. “O candidato que quiser representar a região da Serra, tem que ser como ela: trabalhador, que se dedica, que prima pela qualidade. A Serra Gaúcha é a locomotiva do estado”, afirma.

Reivindicações da região

Questionado sobre os pedidos dos municípios da região que Pereira visitou nos últimos meses, a questão de infraestrutura interna é o que mais preocupa as lideranças regionais. Segundo ele, Bento Gonçalves e entornos estão focados na área do turismo e, por isso, rodovias bem sinalizadas e pavimentadas, além de duplicações de trechos onde ainda não estão realizados são apontados como prioridade para fomentar ainda mais o setor. Outro ponto, segundo Pereira é a questão da alta carga tributária dos produtos oriundos da viticultura. “Precisamos valorizar primeiro quem está no campo, produzindo, ao mesmo tempo, as nossas cantinas. Nós temos os melhores vinhos, espumantes e sucos de uva e a maior carga tributária. Em sequência, nós precisamos ficar de olho, assim que finalizarem as obras da segunda ponte do Guaíba, trabalhar para que a duplicação de São Vendelino à Bento e de Farroupilha à Bento. Nós precisamos trabalhar isso. A BR-470 depois que foi federalizada já melhorou muito”, observa.

Projetos futuros

Para Pereira, os planos futuros permanecem na área política, em especial, no auxílio de municípios e entidades que buscam recursos financeiros para a realização de obras e projetos na região. Ele afirma que se o estado cresce é porque existem trabalhadores e pessoas que fazem o que precisa ser feito para o fortalecimento da economia e de áreas essenciais.

Indagado sobre a possibilidade de concorrer nas eleições de outubro, Pereira foi enfático ao dizer que isso é uma decisão do partido, mas que está à disposição. “Se, por acaso, o meu partido definir que eu seja candidato a deputado federal, aí é uma decisão partidária. Eu estou à disposição, mas precisamos esperar as convenções. O importante é estar trabalhando e continuar colaborando em prol da nossa região”, finaliza.

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

1 Comentário

Deixe um comentário