Geral

Marcos Carbone, presidente da CDL-BG: “Nossos empresários têm reagido e encontrado alternativas”

Ranieri Moriggi
Escrito por Ranieri Moriggi

As perspectivas da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL-BG) para 2018, considerando a continuidade e consolidação dos sinais de recuperação da economia, e principalmente do nível de confiança do consumidor (indicador fortemente atrelado a seu comportamento na hora das compras), foram positivas. Segundo o presidente da entidade, Marcos Carbone, a projeção de crescimento no comércio e serviços e consolidou, ainda que moderado. “Essa condição de avanço, entretanto, não fica dependente somente a fatores externos, e está diretamente atrelada ao ininterrupto aprimoramento destes ramos”, explica.

Segundo Carbone, graças a capacidade empreendedora e inovadora, os empresários têm reagido e encontrado alternativas, mesmo em meio aos períodos mais complicados que enfrentamos nos últimos dois anos. “Foi o que fizemos de maneira expressiva em 2017, com a promoção de inúmeros eventos e atividades de qualificação nas mais diversas áreas, ações que, sem dúvida, podem garantir um diferencial muito importante em momentos nos quais se torna preciso reconquistar o consumidor”, garante.

Carbone destaca ainda que a retomada da economia ficou evidente, principalmente durante os períodos de final de ano, com a campanha Bento Natal Premiado, que incentivou as compras nos estabelecimentos locais participantes por meio do sorteio de prêmios e também na ação inédita da Black Friday, que mobilizou o comércio no oferecimento de promoções e descontos aos clientes e a comunidade em um evento de encerramento da ação, na Via Del Vino. “Antes disso, tivemos uma ação muito assertiva, que foi o Armazém das Pontas – provando que, ao oferecermos oportunidades, nossos lojistas cumprem o dever de casa e colhem bons resultados”, pontua.

Para o presidente da CDL, em 2018, a entidade será desafiada ao combate da inadimplência, que hoje ultrapassa os R$ 11,5 milhões. Carbone destaca as alternativas para controlar a situação “Precisamos atuar conjuntamente com o empresariado para, ao mesmo tempo, encontrar soluções que permitam reduzir esse déficit e buscar ferramentas que tornem as novas vendas mais seguras”, espera.

O líder empresarial garante ainda que a CDL-BG deverá permanecer com as parcerias já consolidadas, no intuito de cumprir o seu papel como entidade representativa. “Manteremos, junto aos Poderes Públicos constituídos, a cobrança pelo atendimento a demandas que consideramos cruciais para o desenvolvimento destes setores tão importantes para a nossa economia”, afirma. “Se, por um lado, apresentamos um constante potencial de crescimento, o que resulta na geração de emprego e renda, de outro nos cabe também reivindicar melhores condições para que possamos desenvolver nosso trabalho”, finaliza.

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário