Geral

Marcos Carbone: “O desafio do comércio é a qualificação”

Cleunice Pellenz
Escrito por Cleunice Pellenz

A afirmação é do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Bento Gonçalves (CDL-BG) inicia 2019 com uma intensa programação e muito a comemorar. No ano de seu cinquentenário a entidade está cada vez mais engajada na qualificação de seus associados e na promoção de eventos que beneficiem aos lojistas e também a comunidade. À frente da entidade está o gestor Marcos Carbone que avalia 2018, o crescimento da cidade e as metas para 2019.

O líder elenca as atividades desenvolvidas no decorrer do ano anterior e aborda que a agenda de eventos da entidade e o setor de formação do comércio são os pontos de destaque, estimulando através dessa programação de ações uma maior movimentação na área central da cidade, bem como fomenta o crescimento do comércio. “Uma das frentes de atuação da CDL-BG foi a formação do comércio, que engaja os lojistas e associados. Logo no início do ano passado, tivemos a primeira edição do Liquida Bento, e no mês de março a Noite Iluminada. Este último, um evento novo, que desenvolvemos, superando as expectativas e com boa aceitação da comunidade”, aborda. Segundo ele, tudo isso mostra que o público quer atividades e momentos diferentes de descontração, inclusive para curtir com a família. “O Liquida Bento já iniciou sua segunda edição. Também já estamos programando a segunda edição do Noite Iluminada, para março, e isso mostra que as pessoas querem coisas diferentes. Momentos de convivência no centro da cidade, com atrações para crianças, jovens, adultos e idosos. Nosso objetivo foi esse, o de trazer as pessoas para o centro, com vários atrativos, e deixar o comércio com o horário estendido, estimulando mais oportunidades de negócios. Precisamos mudar a cultura e revitalizar o centro da cidade. Ele tem movimento, tem segurança e somente com eventos deste porte e com diferenciais isso é possível”, salienta.

Um dos setores fortes e consolidados de Bento Gonçalves, o comércio está, também, se expandindo, principalmente nas localidades mais populosas. “Hoje podemos citar vários bairros que estão bem estabelecidos no comércio, muitos deles concentrando diversos de nossos associados, como São Roque, Botafogo, Licorsul, onde percebemos este crescimento. As pessoas estão com o tempo controlado e acabam consumindo no comércio dos bairros, então os empreendedores, tendo essa percepção, estão investindo nesses locais. Isso é positivo, pois ocorre também uma descentralização. Tem quase tudo no centro, mas quase tudo nos bairros também”, indica.

Um dos pontos fortes da entidade é a qualificação do comércio, que está engajado em aprender e a melhorar cada dia mais seu empreendimento. Para que isso seja possível, a CDL-BG faz uma pesquisa todo o início do ano para entender as carências e demandas do setor e ajustar os conteúdos dos cursos conforme as necessidades dos lojistas. “Percebemos que no ano de 2017/2018 essas demandas cresceram bastante, como cursos voltados para atendimento, para gestão financeira, vendas, relacionamento. Diante de um momento de recessão econômica no país – e isso foi o que o comércio entendeu -, preciso olhar para a minha loja e melhorar, então, de certa forma, estes processos de desaceleração econômica também são positivos. Muitos cursos nesta área foram demandados. Tivemos um crescimento de mais de 100% de alunos inscritos nos cursos ofertados pela CDL e também o dobro de ofertas do curso para o comércio local”, avalia.

CDL-BG celebra seu cinquentenário este ano

Entretanto, apesar de todo o conhecimento já abordado, o que ainda mais falta – e é um diferencial do comércio – é a qualificação para melhorar cada vez mais o atendimento e o relacionamento com o consumidor. “Hoje ele está muito mais exigente, e vejo isso como positivo, pois isso faz com que o lojista tenha que se qualificar para atender esta demanda. O consumidor, na maioria das vezes, vai para a loja sabendo o que ele quer, as especificações técnicas do produto. Existe o desafio também do comércio eletrônico, mas se você quer comprar um produto e a loja tem ele à disposição, o consumidor não vai para casa comprar na internet. Então o desafio cada vez mais é a qualificação de pessoas. Elas devem estar no comércio para fazer o relacionamento com os clientes, para atender bem. O que diferencia o comércio é o relacionamento”, ressalta Carbone. Por isso, a entidade possui um trabalho de educação do lojista para criar hábitos, e conta com uma equipe de vendas e relacionamento que está na rua de forma permanente, visitando os lojistas, fazendo relacionamento e comunicando as promoções. “Este é outro trabalho diferenciado que temos e que merece destaque”, aborda.

Outra adversidade enfrentada pelo comércio é o entendimento da mudança de hábito dos novos consumidores. “Hoje, muitas vezes o consumidor nem quer pegar o telefone para ligar e fazer uma compra, ele utiliza um aplicativo, por exemplo. É uma mudança de hábito e muitas vezes não estamos preparados para perceber isso. Quando a pessoa vai comprar pelo aplicativo ela não compra só para si, mas também para toda a família. Percebemos esta mudança, que vai também para o varejo, e temos que estar preparados para atendê-los”, esclarece. Ele garante que o comércio de Bento Gonçalves está muito bem servido, com um grande mix de produtos, atendendo todas as idades.

Foto: Fabiano Mazzotti

Sobre o autor

Cleunice Pellenz

Cleunice Pellenz

geral5@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário