Antônio Frizzo

Impunidade, teu nome é Brasil!

Antônio Frizzo
Escrito por Antônio Frizzo

IMPUNIDADE, TEU NOME É BRASIL!
A cada dia se pode, facilmente, constatar a marcha célere da impunidade. Nesta semana, o anúncio foi o da “PRESCRIÇÃO” das acusações contra José Sarney (ex-presidente) e Garibaldi Alves (ex-presidente da Câmara dos Deputados). Já os agora ex-senadores Romero Jucá (pouco importa o partido, pois só muda a sigla, a “farinha” é a mesma) e Valdir Raupp, além de Renan Calheiros, cujo processo foi mantido no STF em razão do tal de “foro privilegiado”. Bem, não é difícil de se imaginar quantos desses processos PRESCREVERÃO, não é mesmo?

BRASIL, SIL, SIL…!!!
Interessante é o fato de que o “foro privilegiado” é no Supremo Tribunal Federal, ou seja, da decisão não há mais órgão judiciário ao qual recorrer. Por que, então, “eles” querem o “foro privilegiado”? Será pelo fato de os “doutos membros” demorarem a julgar muitos processos até a sua prescrição, gerando a impunidade? Começando na Primeira Instancia da justiça, a probabilidade de recursos é muito maior, há o TJ, o STJ e, ainda, o STF. Em todos a agilidade é quelônica. Por isso é que tantos processos prescrevem, como o “mensalão tucano”, o “merendão e trensalão” paulistas. Agora o super Sérgio Moro está enviando projeto para o Congresso visando “mais severidade com o crime, inclusive o do colarinho branco”. Conseguirá aprovação? No Brasil, sil, sil..!!! A conferir!!

O PASSADO IMPORTA, SIM!
No ano passado, em reunião-jantar no CIC/BG, um empresário respondeu a um questionamento meu, dizendo que “não podemos pensar no passado, mas olhar e planejar o nosso futuro”, sendo o assunto a nossa Bento Gonçalves. Na semana passada, o Jornal Semanário, na página 12, sob o título “MEMÓRIAS”, reproduzia matéria de 30 anos atrás, 1989, onde informava que “VEREADORES VÃO MANTER A REMUNERAÇÃO”. Na semana anterior, o Semanário informava que “Entidades reivindicam redução na remuneração”. Pois a prova de que o passado importa, e muito, foi apresentada há poucos dias. Vejamos:

A FORÇA DAS ENTIDADES
No dia 24 de janeiro último, DEZESSETE entidades representativas redigiram e entregaram para o presidente da Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves, bem como a todos os vereadores, correspondência manifestando contrariedade de todas – traduzindo a vontade da população – com o aumento “de benefícios destinados aos vereadores”, além de “manifestar sua discordância à forma de gestão dos recursos públicos que ela sintetiza”.

E DA POPULAÇÃO
A diferença entre as reivindicações das lideranças de 1989 e das de 2019 é que, agora, a população entendeu, definitivamente, que a “REPRENTATIVIDADE”, seja de entidades e de políticos eleitos precisa corresponder aos seus anseios. Eleger políticos deixou de ser a “CONCESSÃO DE UM CHEQUE EM BRANCO para fazerem o que bem entendem. A pretensão do “auxílio-gasolina” foi uma bofetada na cara dos bento-gonçalvenses que, desta vez, não viraram a outra face.

INACREDITÁVEL!
O nome dele é José Pereira Oliveira. Em Canela, esse homem entrou numa loja e roubou R$ 24,00, que lhe foi entregue pela atendente da loja, muito apavorada. José saiu e foi comprar comida para ele, esposa e filho. Estava desempregado e não havia o que comer em casa. Onde horas depois, por ser de boa índole, arrependeu-se decidiu se entregar à polícia. O que irá acontecer a ele, agora? Será condenado? Será preso? Não duvido de nada disso. Afinal, ele não é um “poderoso” político ou ligado aos “donos do Brasil”. Mas, pelo menos, poderá servir de exemplo à politicanalhada brasileira e seus seguidores. Ou não?

AGORA VAI!
“Jênios” da economia e da política brasileira já “venderam” (por assim dizer, já que como “venda” pode haver questionamentos, como a Vale do Rio Doce e a CEEE, por exemplo) muitas estatais RENTÁVEIS ou com grande potencial de lucratividade, se fosse bem gerenciadas ao invés de serem entregues a “correligionários” ou “aliados” ou “coligados”. Porém, qual foi, mesmo, o resultado da privataria? O brito entregou CEEE, CRT, etc. Yeda vendeu grande parte do Banrisul. Sartori acabou com a FEE. Resolveram o problema? Venderam o “sofá” por R$ 100,00, tendo uma dívida de R$ 100.000.000,00. Ficamos sem o “sofá” e com a dívida DEZ VEZES MAIOR que em 1997. O Leite, agora, quer fazer o mesmo. Ou seja, será MAIS DO MESMO. Pobre Brasil! Pobre Rio Grande do Sul!

ÚLTIMAS

Primeira:
O povo brasileiro está percebendo – tardiamente, mas não sem tempo – que os tais de “dereitos adequeridos” (podem deixar escrito assim mesmo) só valem para “os mesmos de sempre”?

Segunda:
Podem apostar que, nas tais de “reformas” trabalhista e previdenciária, conforme preconiza a Constituição Lixo, preservarão somente os direitos “deles”, dos “de sempre”;

Terceira:
O novo “saque” contra o bolso dos proprietários de veículos já está sacramentado. As “placas do Mercosul”, cujo objetivo ninguém entendeu ainda, principalmente os que moram no sudeste, centro-oeste, norte e nordeste. Mas quem está faturando, entendeu, né?

Quarta:
Pois o DEM (ex-ARENA e outros desmembramentos) assumiu o controle do Brasil. Sim, porque até um aluno de Direito do primeiro semestre sabe que o “regime parlamentarista disfarçado” comanda desde os municípios até a União. Então, viva o DEM!

Quinta:
O super Sérgio Moro quer criminalizar o “caixa 2”. Claro que só a partir de agora, os que já usaram e abusaram não entram nessa. Houve até alguns que “pediram desculpas” segundo ele;

Sexta:
Parabéns ao Ministério Público Federal que proporcionou a instalação da balança no posto da polícia federal. Brevemente os infratores estarão destruindo outras rodovias, não as que estamos utilizando;

Sétima:
Será, mesmo, que o Leite irá entregar a CORSAN, que nos proporciona a “água nossa de cada dia”, à iniciativa privada, onde o “deus lucro” é o “senhor maior”?

Oitava:
Não esqueça de pagar a contribuição para a CONSEPRO, juntamente com o IPTU. A segurança pública depende de nós, fundamentalmente, e a CONSEPRO somos todos nós, é nossa;

Nona:
Duvido que, caso o Grêmio vença o Avenida e conquiste, além dos 3 pontos, a recopa gaúcha, os gremistas comemorem. Nós, gremistas, zoamos os colorados quando a ganharam, lembram?

Sobre o autor

Antônio Frizzo

Antônio Frizzo

Economista e colunista do Jornal Semanário há 40 anos.
antoniofrizzo@italnet.com.br
www.jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário