Adelgides Stefenon

IDH. O que é isto? BENTO DESPENCA

Adelgides Stefenon
Escrito por Adelgides Stefenon

Durante os últimos foi destaque em todos os meios de comunicação que o Brasil melhorou no IDH, o RS piorou. Eu digo que Bento despencou.

Vamos começar pelo começo. O Índice de Desenvolvimento Humano ( IDH ) é um indicador criado em 1998 para avaliar como estaria o desenvolvimento de cada região, município, estado ou país. É um índice, portanto, mundial que foi adotado pela Organização das Nações Unidas ( ONU ) como fator de comparação do nível de qualidade de vida alcançado ao redor do mundo. Foi criado como um contraponto ao índice de crescimento dos países, normalmente medido pelo Produto Interno Bruto ( PIB ).

Desenvolvimento é muito mais que crescimento, é melhoria da qualidade de vida das populações. Um país seria desenvolvido quando encontrasse um padrão de qualidade de vida superior aos demais.

Este índice definiu 3 variáveis para analisar a qualidade de vida: renda per capita ( renda por pessoa ), expectativa de vida ( saúde ) e nível de escolaridade ( educação ).

Contudo, este índice, embora importante, na minha opinião é limitado. Prova disto é que criou-se, agora, o IDHAD que é este mesmo índice Adequado às Desigualdades procurando melhorá-lo, mas, mesmo assim, ainda limitado.

Limitado pois:

1) Por considerar a renda per capita ( por pessoa ) faz uma média da renda da população, mesmo que ela esteja concentrada na mão de poucos, ou seja, fazendo a média aritmética simples, não leva em consideração a concentração da renda, fator importante para medir a qualidade de vida;

2) Nível de desconcentração da renda seria muito mais importante que a renda per capita;

3) Não leva em consideração fatores importantíssimos como segurança pública, nível de democracia, sustentabilidade, relações sociais, equidade, mobilidade social, saneamento;

4) Expectativa de vida ao nascer é um bom indicador mas ele não está relacionado diretamente à saúde e, sim, ao acesso à saúde, ao conhecimento médico, ao nível de segurança, acidentes de trânsito, etc;

5) Diferenças de metodologia dos Censos entre países também podem comprometer os resultados.

Bem, levando-se estas limitações em consideração, mesmo assim o índice demonstra seu valor pelo menos para análises e questionamentos mais profundos. Veja a realidade de Bento Gonçalves.

Vê-se que Bento Gonçalves despencou. Era o 6º. melhor município do Brasil em 2000 e agora é o 145º. Era o melhor do RS e agora é o 16º. O que aconteceu? O índice da renda melhorou, mas o da longevidade piorou e o da educação, então, despencou. O que aconteceu? Já sei. Mudaram a forma de cálculo do índice da educação em relação a 2000. Porém, a comparação com outras cidades ainda é, de certa forma, válida.

Sendo assim, considero analisar o índice com ressalvas pois, mesmo sendo um bom começo para se analisar qualidade de vida, ainda não chegamos lá. Estes outros fatores citados que estão fora deste índice deveriam ser considerados sob pena de fazermos um bonito bolo mas que faltaram ingredientes muito importantes. Serve para reflexão inicial pelo menos.

Pense nisso e sucesso.

 

Sobre o autor

Adelgides Stefenon

Adelgides Stefenon

Adelgides Stefenon é economista, mestre em marketing, consultor nacional e internacional e professor universitário.
adelgides@stefenon.com.br
www.stefenon.com.br

Deixe um comentário