Antônio Frizzo

Há trinta e cinco anos

Antônio Frizzo
Escrito por Antônio Frizzo

HÁ TRINTA E CINCO ANOS
Pois é, a minha Coluna, que neste ano da graça de 2018 completará QUARENTA ANOS nas páginas do Jornal Semanário, há trinta e cinco começou a trazer tópicos onde eu afirmava, sem medo de errar, que as doações empresarias para as campanhas políticas partidárias eram feitas com o exclusivo objetivo de “obter vantagens” através de seus eleitos, sem NENHUMA CONSTESTAÇÃO. O motivo de não serem contestadas minhas afirmações? “Elementar, caro Watson”, diria o lendário Sherlock Holmes, “porque eles sabiam que eram verdadeiras. O que estranho, particularmente, é o que levou tanta “gente de bem e do bem” (existem milhões nas redes sociais assim se denominando), bem como a “vigilante” grande imprensa brasileira a não levarem a público essas patifarias. Alguém sabe?

AGORA “DESCOBRIRAM A AMÉRICA”!
Muitos já devem ter ouvido essa expressão, sempre usada para se dizer que estava diante do óbvio-ululante, que todos já sabiam. Nem vou me referir às patifarias por atacado, que ninguém desconhecia ocorrerem nos governos militares e de Sarney, Collor, Itamar, fhc, Lula, Dilma e agora, como um tsunami, no governo golpista de Temer. O que causa espécie é só agora a PF, MPF e outros estarem preocupados com os desvios no famigerado “ROUBOANEL PAULISTA”. Qualquer paulista, não fanático-partidário, que não tenha “corrupto de estimação”, sabia das falcatruas que povoaram membros dos governos tucanos em São Paulo, coroados com o “merendão” e o “trensalão” (este denunciado há muito tempo pela justiça Suíça). Mas, com a maior cara-de-pau, noticiam como “novidade”. Muitos até pensam que é, outros fingem não saber, mesmo com as denúncias por atacado.

AGORA “DESCOBRIRAM A AMÉRICA”! II
E o que dizer das denúncias, também por atacado, que estão sendo feitas em dezenas, centenas de municípios? Falcatruas em concursos públicos? Ora, cara-pálida, eu ouvia isso quando ainda criança. Desvios de verbas pelo superfaturamento em obras públicas? Em licitações dirigidas? Em concursos públicos? Em “compras fantasmas”? “Pelamordedeus”! Isso tudo sempre ocorreu em todo o Brasil, com honrosas – raríssimas – exceções. Mas, mesmo com gente “de bem e do bem” sabendo e podendo provar, calaram-se “para não se incomodar ou sofrer represálias”.

APT E DPT
Afirmei aqui, na coluna, várias vezes que o Brasil seria dividido em APT e DPT (ante dos PT e depois do PT). Errei? Um “sim” somente pode ser dito por um fanático-partidário. Com o PT no poder vieram à tona as roubalheiras escancaradas que SEMPRE assolaram o Brasil desde 1964, no mínimo. Chega, pois de hipocrisia! Tem gente que não tem mais estômago para suportá-la, senhores e senhoras “do bem e de bem”.

QUEREM PRORROGAR O AUMENTO DO ICMS
“Pode isso, Arnaldo?” “Claro que pode, Galvão!” E por que que pode? Simples, elementar: porque se reduzirem o ICMS, aumentado em 1%, de 17% (na realidade 20,48%) para 18% (na realidade 21,95%) a varrer, sobre todos os produtos e de 25% (na realidade 33,33%) para 30% (na realidade 42,85%) nenhum, mas nenhum, MESMO, produto terá preços reduzidos. Muitos dirão que terão que fazer “recomposição de margens de lucros”. Saliento que o percentual entre parênteses é o ICMS real que pagamos hoje, pois incide sobre ele mesmo, ou seja, pagamos ICMS sobre o próprio ICMS. O que a população terá com a redução? No meu entender, absolutamente nada. Portanto, enquanto tivermos a tal de “liberdade de mercado”, que fique como está. Há um imposto que terá que ser banido definitivamente: O IMPOSTO DE FRONTEIRA, uma excrescência tributária aplicada sobre as micros e pequenas empresas totalmente inconstitucional, no meu entender e de qualquer um que tenha lido a Constituição Federal.

ATÉ QUANTO, BENTO GONÇALVES?
A pergunta que me fizeram: “Até quando Bento Gonçalves aceitará ser a “jeni” (aquela mesma, descrita na música) da imprensa”, por causa das coisas estranhas que estão acontecendo aqui, por atacado. Já tivemos “n” denúncias de irregularidades envolvendo a prefeitura e a câmara de vereadores. Como está tudo isso? Quando obteremos uma resposta? Fala-se em “sigilo de justiça”. Até pode ser legal esse tal de “segredo”, mas é “moral”? Pode algo de extremo e total interesse público ser sigiloso? O Plano Diretor, que teve problemas denunciados, mas foi votado e aprovado pela Câmara mesmo assim, tem seu processo no MP “sob sigilo” e o presidente da Câmara barra uma CPI, que poderia nos mostrar os acontecimentos. Vamos continuar sendo a “jeni”? Até quando?

ÚLTIMAS

Primeira
A 26ª Avaliação Nacional de Vinhos, a maior do planeta, já começou. A inscrição dos vinhos pelo setor vitivinícola brasileiro irá até o dia 6 de julho;

Segunda
O Regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis no site www.enologia.org.br. O evento é promoção da Associação Brasileira de Enologia, presidida pelo enólogo Edegar Scortegagna;

Terceira
É comum ouvir-se que “brasileiro não sabe votar”, dito por quem votou diferente do outro. Mas, agora, com Trump, pode-se dizer que “americanos não sabem votar”, também?

Quarta
A solução do governo para amenizar a falta de segurança no Brasil: retirar dinheiro do Ministério dos Esportes. Retirar privilégios nos poderes Executivos, Legislativos e Judiciários, do Oiapoque ao Chuí, nem pensar?

Quinta
Os e-mails de fhc, o presidente tucano, enviados para a Odebrecht, serão averiguados a fundo ou a tucanada segue imune?

Sexta
A Vistoria em Veículos deveria voltar no Brasil, com seus custos arcados pela abusiva receita do IPVA. O que se vê de veículos irregulares circulando é inacreditável, colocando em risco os demais;

Sétima
Ontem a seleção brasileira quase matou os torcedores DO BRASIL do coração. Sim, DO BRASIL, porque os secadores confundem futebol com a politicanalhada brasileira. A equipe honrou a camisa da seleção com raça e futebol, pra ninguém botar defeito.

Sobre o autor

Antônio Frizzo

Antônio Frizzo

Economista e colunista do Jornal Semanário há 35 anos.
antoniofrizzo@italnet.com.br
www.jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário