Bairros

Grupo Nova Vida: Longevidade, amizade e sorrisos

Da Redação
Escrito por Da Redação

Centro de convivência da terceira idade é um dos maiores do município e tem ativas 72 pessoas com atividades físicas

Proporcionar atividades físicas e de socialização a pessoas da terceira idade do bairro Santa Rita. Assim foi fundado, no dia 9 de novembro de 2000, pela então presidente da Associação de moradores da localidade, Aurora Pagani, 80 anos, o Centro de Convivência Nova Vida. A iniciativa que começou pequena, tinha, na época, pouco mais de uma dúzia, mas que com o passar dos anos e crescimento habitacional da comunidade foi se desenvolvendo e atualmente atende a mais de 80 pessoas com idades entre 50 e 85 anos.

De acordo com a diretora do Centro Aneri Giacobbo, 56 anos, o grupo se reúne todas as terças e quintas-feiras, das 15h às 16h, no Salão Comunitário do bairro para realizar atividades de alongamento, ginástica e fortalecimento muscular. “Nós temos um grupo ativo, são 72 pessoas. Hoje temos apenas mulheres, não somos exclusivos para senhoras, homens também podem participar”, disse Aneri.

A diretora ainda complementa, “não só a saúde física, mas a psicológica, a mental. É importante trabalhar com o lado social. Realizamos recolhimento de colaborações financeiras, para que possamos fazer viagens, passeios, baile. É importante isso, essa socialização para a mente, para a auto estima. É um incentivo a mais para que elas possam buscar por uma melhor qualidade de vida”.

Centro de Convivência Nova Vida atua há cerca de 18 anos, no bairro Santa Rita, em Bento. Foto: Lorenzo Franchi

Amor e saúde

A atuação do grupo impressiona pela longevidade, 18 anos a serem completos em 2018. Para quem está desde o início presente no projeto, não há nenhuma surpresa, afinal “somos todos uma grande família”, ressalta Esterina Gnatta, 80 anos.
Ela conta que começou a fazer atividades há 20 anos por recomendações médicas, no Bairro Santa Helena. De acordo com Esterina, na ocasião, ainda moradora do Santa Rita, não haviam iniciativas do tipo na localidade.

Esterina conversou com outras moradoras, como a Aurora, e buscou interessadas em iniciar o projeto. “Tudo começou pequeno. Não tínhamos nem o lugar. Eram 10, 12 pessoas. Hoje temos mais de 80. Isso é motivo de orgulho”, relata.

Sobre os ganhos em saúde, Esterina brinca que, “minha saúde depois que eu comecei com as atividades de terceira idade, certamente, ganhei o dobro dos anos que viveria antes. Me sinto bem, fiquei outra pessoa”. Ela complementa, “sempre em casa a gente conversava pouco e agora aqui, a gente ganha uma nova família. Criei amigas, tu estás sempre conhecendo pessoas novas, se relacionando. Eu gosto disto aqui. Faz bem para a memória”, disse.

Ao longo desses anos, ela relata que já enfrentou alguns problemas físicos, como uma cirurgia no joelho e dores na coluna, mas “jamais desisti. Parava, me recuperava, mas voltava”. De acordo com ela, com os ganhos de qualidade de vida, por participar do grupo, ela consegue se manter ativa. “Faço tudo o que consigo em casa, como limpeza, minha comidinha, me cuido”, afirma.

Atualmente, Esterina mora no Bairro Verona, mas não abandonou a “família”. “Vou continuar enquanto puder. Chuva ou sol eu sempre venho. Fazer atividades em casa é bom, mas nada se compara a ter uma professora te mostrando. O envolvimento, a concentração é outro”, enfatiza.

Centro de Convivência Nova Vida atua há cerca de 18 anos, no bairro Santa Rita, em Bento. Foto: Lorenzo Franchi

Superação

Outro exemplo positivo encontrado no Centro de Convivência Nova Vida é a aposentada Reni Massutti, de 85 anos. Ela é a participante mais velha e completará mais um ano de vida no dia 15 abril.

Recentemente, Reni enfrentou um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e ainda se recupera. Mas mesmo com limitações, na fala, e de alguns movimentos, ela não deixou de comparecer ao encontro dessa terça-feira, 3 de abril.

Segundo ela, “toda a semana a gente fica esperando. Hoje eu faço tudo. Venci um AVC recentemente, mas já voltei. Quero ir mais longe”. Reni ainda destaca que “graças as atividades tenho forças para me cuidar. Faço a comida, cuido da casa. Estou bem. Tenho qualidade de vida”, comemora.

Atividades

Para a responsável pelos grupos de convivência da terceira idade de Bento Gonçalves, Andreia Carla Antonini, que também ministra atividades como educadora física no Centro, “é gratificante poder trabalhar com este público”.

Andreia destaca que “há 24 grupos deste tipo no município, que se reúnem uma vez por semana com a finalidade de trabalhar com a parte física e a socialização. Além de atividades físicas, busca-se fazer palestras com o grupo, leva-las a passeios, bailes, uma integração de modo geral”, relata.

Ela ainda ressalta que  “investir nestes grupos é um retorno positivo para a cidade”. Andreia conclui, “quando se incentiva uma melhor qualidade de vida na terceira idade, o município tem
retorno em melhorias para investimentos. Um idoso saudável é reflexo de um grande trabalho”.

Sobre o autor

Da Redação

Da Redação

redacao@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário