Segurança

Governo do Estado garante que nenhuma cidade terá menos do que cinco PMs

Ranieri Moriggi
Escrito por Ranieri Moriggi

O Governo do Estado garantiu que nenhuma das 497 cidades gaúchas terão menos que cinco policiais em seu efetivo a partir do segundo semestre deste ano, após o término da preparação de dois mil novos policiais militares que irão reforçar a Brigada Militar (BM). Além disso, as forças de segurança também estarão programadas para realizar o policiamento 24 horas em todas as estradas estaduais cobertas pelo Comando Rodoviário. A estratégia de distribuição coloca em prática as premissas de inteligência e investimento qualificado do programa RS Seguro, com adoção de critérios objetivos que priorizam os municípios menos guarnecidos, além das unidades e serviços com maior impacto regionalizado, para otimizar o aproveitamento do reforço.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, a estratégia do programa prevê que nenhuma cidade tenha menos que cinco policiais. Atualmente, o Estado tem 18 municípios com apenas dois policiais militares, 67 com efetivo de três brigadianos e 68 com quatro servidores. Dessa forma, a distribuição irá contemplar 153 municípios com 256 novos PMs, aumentando o policiamento nas cidades menores.

Outra novidade divulgada pelo Governo é a qualificação e incremento nos 38 Pelotões de Operações Especiais (POE) divididos em todo o estado. Ao todo, 250 novos policiais militares serão inseridos no grupamento, devendo beneficiar todas as regiões.

Não só os municípios, mas também, os Comandos Rodoviários da Brigada Militar deverão contar com efetivo mínimo. Cada um dos 40 postos presentes em todas as regiões do Estado deverá ter em sua corporação, no mínimo, 13 policiais. Essa medida, com o emprego de 110 novos soldados, permitirá manter o policiamento 24 horas em todas as rodovias estaduais cobertas por unidades do CRBM.

Na sequência, seguindo a estratégia do RS Seguro em priorizar os territórios que concentram o maior número de delitos, 58% (1.127) do efetivo total a ser distribuído irá reforçar os batalhões dos 18 municípios elencados pela pesquisa criminal do programa. Essas cidades, além de reunirem 45% da população do RS, responderam por 89% dos roubos de veículos, 88% dos roubos a pedestres e 71% das mortes violentas no Estado nos últimos 10 anos. Dentro desse total que irá para os 18 municípios, estão inclusos os 220 dos dois novos Batalhões de Polícia de Choque e cerca de 100 para os POEs.

Para finalizar, 67 brigadianos irão permanecer em 11 municípios que foram sedes do curso de formação e outros 237 PMs serão distribuídos por 63 cidades do RS, com o objetivo de minimizar a defasagem de efetivo.

Lotação da Polícia Civil foca investigação e atendimento ao cidadão em todo o RS

A lotação dos 412 novos policiais civis que se formaram no último dia 8 também foi alinhada ao planejamento do RS Seguro, com reforço especial nos 18 municípios prioritários pela alta incidência criminal, e à distribuição dos brigadianos, uma vez que o aumento do policiamento ostensivo tende a elevar a demanda das delegacias. A estratégia ainda adotou o critério de fortalecer o efetivo para principal atividade da Polícia Civil, que é a investigação criminal, em especial para combate ao crime organizado.

Pelo interior, o foco foi a qualificação do atendimento ao cidadão em cidades que há plantão 24 horas, com reforço em Delegacias de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) e reabertura de plantões que haviam sido suspensos, como nas cidades de Marau e São Jerônimo. Por esse critério, serão 41 municípios contemplados.

Além disso, a chegada dos novos agentes trará economia para o Estado ao repor o efetivo zerado em 11 municípios, onde para manter o atendimento havia necessidade de pagamento de diárias ou horas extras – em 2018, foram gastos R$ 178,7 mil nessa situação emergencial.

Fonte: Governo do RS e Redação
Foto: Rodrigo Ziebell / SSP / Arquivo

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário