Segurança

Garibaldi: número de prisões cresce em 2017

Nicholas Lyra
Escrito por Nicholas Lyra

A pedido do Jornal Semanário, a Delegacia de Polícia Civil de Garibaldi realizou um levantamento de alguns dos índices dos primeiros cinco meses de atuação em 2017. O resultado revelou, entre outros números, um aumento no registro de detenções em comparação ao mesmo período do ano passado. Também foram apresentados dados de cumprimentos de mandados de busca e apreensão e apreensão de drogas no município.

O número de prisões foi a estatística que mais apresentou aumento. Em 2016, foram registrados 23 casos nos primeiros cinco meses. Já neste ano, foram 36 casos. Isso representa um crescimento de mais de 56% nas detenções.

De acordo com o delegado titular da Delegacia de Polícia Civil de Garibaldi, Clóvis Rodrigues de Souza, as prisões ocorrem pela celeridade buscada pelos agentes na hora de realizar o trabalho. “A partir do momento em que recebemos as informações, e tão logo chega ao conhecimento da delegacia e efetiva-se a possibilidade da prisão, aumentam as chances de sucesso”, pontua.

O número de cumprimentos de busca, por outro lado, diminuiu. Segundo dados da DP, foram cumpridos nove em 2016, contra dois em 2017.

Em relação à questão estrutural, De Souza comenta que não há nenhum tipo de déficit na Delegacia, tanto na questão material quanto de viaturas. “Temos um apoio excelente da prefeitura municipal, em doações de viaturas com parcerias com o Consepro, além de projetos apresentados ao Poder Judiciário”, destaca.

Apesar disso, há pontos negativos – já conhecidos da sociedade. A falta de efetivo e pessoal, que é uma realidade em todo o Estado do Rio Grande do Sul, também é um problema em Garibaldi. “Infelizmente, é algo que impacta diretamente na realidade do nosso trabalho e dos resultados obtidos”, lamenta.

Trabalho de prevenção ao uso de drogas

O número de apreensões de drogas também foi levantado pela Delegacia de Polícia de Garibaldi. As estatísticas apresentaram duas elevações e uma queda. No primeiros cinco meses de 2016, foram apreendidos 108 gramas de maconha, contra 142 gramas neste ano. As de cocaína subiram de quatro gramas para 21 gramas. Já as apreensões de crack caíram de 20 gramas em 2016 para dois gramas em 2017.

De acordo com o delegado de Garibaldi, a Polícia Civil do município também trabalha no aspecto de repressão, mas atua em conjunto com outros órgãos no intuito de prevenir o uso de entorpecentes. “Contamos com uma rede de apoio com diversos serviços, desde a Brigada Militar, passando por conselhos e secretarias municipais, para atuar na prevenção”, ressalta.

Sobre o autor

Nicholas Lyra

Nicholas Lyra

policia@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário