Geral

Estudantes terão novas alternativas

Lorenzo Franchi
Escrito por Lorenzo Franchi

Nos benefícios particulares, o aluno chega a ter até 50% de desconto nas matrículas e pode quitar após a graduação

Oportunizar vagas no ensino superior para quem não tem condições. É com este sentimento que as principais universidades gaúchas vêm desenvolvendo planos de financiamentos particulares a custo de juros abaixo do valor de mercado, após as novas determinações do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies)- programa do Ministério da Educação (MEC)- visando o ingresso de novos estudantes nos centros de ensino.

A UCS criou o UCSCRED como alternativa para os estudantes. Foto: Divulgação

Foi com este ideal que Universidade de Caxias do Sul desenvolveu o UCSCRED. O reitor da UCS, Evaldo Kuiava explica que “um dia após a definição deste novo fies (27 de dezembro) projetamos um financiamento mais acessível, melhor para todos. O estudante pode fazer todas as disciplinas a um custo de 50% da matricula, vindo a quitar a graduação após estar formado, a juros zero”.
As alterações por parte do ministério limitam o número de vagas – 310 mil para todo o país- e aumenta os repasses das universidades particulares para os programas estudantis. Com isto, alguns centros de ensino superior no Rio Grande do Sul deixam de aderir ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Entre eles PUCRS, Unisinos, Universidade de Passo Fundo (UPF), Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Centro Universitário Franciscano (Unifra), de Santa Maria, e Universidade de Caxias do Sul (UCS).

De acordo com o diretor de ensino do Instituto de Desenvolvimento Educacional do Alto Uruguai (IDEAU), polo Caxias do Sul, Márcio Rebelatto, por três anos a instituição ofereceu o benefício aos estudantes, mas não irá aderir à iniciativa em 2018. “Não teremos adesão neste ano devido ao baixo retorno para a universidade. O aluno se torna muito caro para a empresa”, disse o diretor de ensino. Ele complementa: “com as novas regras, as universidades terão que se responsabilizar com a inadimplência dos alunos. Além disso, o repasse das entidades ao governo subiu de 6,25 podendo chegar a 15 e 25 %”, ressaltou.

O reitor da UCS também relata que o Fies não garante que os alunos serão aceitos no programa. “No semestre passado, tinhamos 800 vagas, depois o MEC reduziu para 160 e no fim menos de 100 estudantes conseguiram o benefício”, critica Kuiava.
Todas as universidades ouvidas para a matéria, FSG, UCS, Univates, IDEAU e CNEC oferecem bolsas particulares e de financiamento aos estudantes.
As inscrições para o FIES 2018 serão entre 19 e 23 deste mês e serão feito pela página: fiesselecao.mec.gov.br. Lá os estudantes também podem conferir as universidades que oferecem a bolsa do Fies.

Sobre o autor

Lorenzo Franchi

Lorenzo Franchi

Deixe um comentário