Cultura

Encontro de Prateiros promete resgatar a arte e o trabalho com metais nobres

Ranieri Moriggi
Escrito por Ranieri Moriggi

Desde o final da tarde de sexta-feira, a Fundação Casa das Artes recebe a primeira edição do Encontro Internacional de Prateiros, onde centenas de peças e obras de arte em prata estão expostas para visitação gratuita. O evento, organizado pela Escola de Artes Santo Elói e do Artista Prateiro Raul Sartor Filho, reúne 25 artistas, do Brasil e da Argentina, que trabalham com metais nobres, prata e ouro, produzindo peças e objetos com temáticas religiosas, regionais, joalheria, entre outras. Em torno de 100 obras compõem a exposição.

Em entrevista a reportagem do Semanário, um dos idealizadores, Raul Sartor Filho disse estar muito emocionado e impressionado pela dimensão que o evento tomou e que, com a primeira edição, o resgate do antigo ofício deve ser fortalecido. “Nosso primeiro encontro tem o intuito de resgatar, promover e difundir o antigo ofício dos prateiros quase extinto pela indústria, além de divulgar a Escola de Artes Santo Elói que nasceu com o objetivo de ensinar aos interessados este ofício e descobrir novos talentos artísticos”, afirma.  Atualmente, a instituição tem como diretor Darci Poletto.

Durante a solenidade de abertura, Poletto foi homenageado com uma placa de agradecimento pelos serviços prestados à comunidade bento-gonçalvense, em prol da cultura. Emocionado Poletto ressaltou a importância de manter viva a arte dos prateiros. “É muito importante a valorização desta arte e destes profissionais, que quase foi extinta. Mas hoje, o nosso encontro, pretende divulgar o ofício e mostrar essas maravilhas que aqui estão expostas. Bento Gonçalves merece uma exposição dessas. Todos estão de parabéns”, disse.

Junto com a exposição, a abertura do encontro teve show com o cantor nativista Lisandro Amaral.

 

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário