Regional

ENART 2018: persistência para chegar à final

Ranieri Moriggi
Escrito por Ranieri Moriggi

Quatro grupos de danças tradicionais da região dedicam seu tempo em longas noites de ensaios para alcançar objetivos

No embalo do sarandeio das prendas e no forte sapateio dos peões, os grupos de dança de Bento Gonçalves, Cotiporã e Carlos Barbosa ultimam os preparativos para mais um desafio: conquistar uma vaga na fase final do Encontro de Artes e Tradição Gaúcha (Enart), considerado o maior festival de arte amadora da América Latina, que ocorre nos dias 16 a 18 de novembro, no parque da OktoberFest, em Santa Cruz do Sul. No entanto, para esse feito, as invernadas competem no próximo final de semana, em Lajeado, das provas artísticas nas Forças A e B, que irão selecionar os grupos que se juntam aos já classificados nas outras etapas eliminatórias. Coordenadores e dançarinos ressaltam a importância do evento e destacam a disposição dos bailarinos em busca do sonho.

Quatro entidades dos municípios de Bento Gonçalves, Cotiporã, Carlos Barbosa, pertencentes à 11ª Região Tradicionalista se deslocam à Lajeado para buscar a tão sonhada classificação para a grande final. Os CTGs Laço Velho, Paisanos da Tradição, Pousada dos Carreteiros e Trilha Serrana devem concorrer na modalidade de Danças Tradicionais – Força B. Ao total, 17 invernadas participam da classificatória, que levara apenas 11 grupos à Santa Cruz do Sul.

Para conquistar a vaga, os grupos ensaiam semanalmente em seus galpões. Os encontros se intensificam na semana que antecede o evento, quando os bailarinos passam, muitas vezes, os finais de semana inteiros dentro de um galpão repassando as coreografias e as danças tradicionais. Além disso, todas as despesas com indumentária, transporte, estadia, maquiagem e conjunto musical, na maioria das vezes são pagos pelos próprios dançarinos.

O Semanário conversou com os coordenadores de três grupos que contaram um pouco do que estarão levando à Lajeado no final de semana e ainda relatam as expectativas para a consagração do trabalho.

A etapa inter-regional do Enart inicia no sábado, 20, a partir das 9h, nos pavilhões do Parque do Imigrante em Lajeado. Além das danças tradicionais Força B, ocorrem ainda as disputas nos concursos individuais, onde os CTGs Gaudério Serrano e Herdeiros da Bombacha, ambos de Bento Gonçalves, também participam. No domingo, 21, ocorrem as apresentações das danças tradicionais Força A e as apresentações do restante dos concursos individuais.

CTG Paisanos da Tradição
Há 10 anos, o grupo adulto da entidade trabalha para alcançar seu objetivo maior: a conquista da vaga para a final do ENART. Atualmente, o grupo é formado por 16 bailarinos. Em 2017, a entidade participou da modalidade de Danças Tradicionais Força A, mas não obteve êxito. Segundo Lucas Contini, integrante da invernada, a mudança ocorreu devido a questões estruturais, financeiras e pelo desejo em manter o nome da entidade no evento estadual.

Coordenado por Michele Cislaghi, o grupo apresenta como temáticas a história do batalhão ferroviário da época de 1940 de Bento Gonçalves. As danças tradicionais ficam a cargo do instrutor Fábio Fransceschini. “Faremos o máximo para bem representar a 11ª R.T. tradicionalista e a nossa cidade de Bento Gonçalves”, afirma Contini. Atualmente, o grupo realiza ensaios de harmonização, trabalhos de interpretação e correção junto às danças tradicionais e de criação das coreografias de entrada e saída.

CTG Laço Velho
A primeira entidade tradicionalista de Bento Gonçalves também trabalha no intuito de voltar aos tablados do Enart em Santa Cruz do Sul. Em 2017, o grupo foi à Uruguaiana, mas não obteve êxito. No entanto, a invernada, composta por 30 bailarinos, manteve a sua base, agregando novos integrantes e continuou o trabalho que atualmente é coordenado por Vivian Bottega e Neiva Tumelero e tem como instrutor das danças tradicionais Manoel Paixão.

Para a apresentação em Lajeado, a entidade aborda nas danças de entrada e saída a temática da gaita, instrumento utilizado pelos gaúchos, enfocando sua sonoridade peculiar no Rio Grande do Sul.

Conforme Manoel Rodrigues, que integra a entidade, o grupo vem em uma preparação intensa e a expectativa é de que o trabalho seja consagrado com a classificação. “O Enart é o principal e mais competitivo evento de grupos do Estado. Poder mostrar o trabalho destes jovens dedicados que hoje formam o atual grupo adulto é a nossa grande realização”, afirma.

CTG Pousada dos Carreteiros
Da cidade vizinha de Cotiporã, o CTG Pousada dos Carreteiros vai levar a história dos tropeiros e sua contribuição para a construção da história e identidade gaúcha. Os 20 integrantes da invernada adulta, coordenada por Jucilei Siviero, Danieli Zardo e Maicon Lazzarini e ensaiada pelo instrutor Mateus Dal Magro, apresentam no tablado do Enart, além das danças tradicionais, coreografias que ressaltam objetos característicos, como bastos e taquaras, onde as danças enaltecem a história de um tropeiro que, no fim de sua vida, relembra os tempos de piá.

De acordo com Danieli, o grupo ensaia há cerca de seis meses para a etapa. “Quando se trata do Enart, as exigências aumentam, bem como a pressão para que tudo ocorra como planejado. Diante disso, as expectativas crescem, fazendo com que tenhamos mais confiança e também, acreditando que faremos uma boa apresentação”, afirma.

Para os cotiporanenses, a participação no evento reforça a importância da entidade na comunidade. “Ter a oportunidade de participar de um evento com tal magnitude traz credibilidade e confiança para o CTG, bem como divulga o município de Cotiporã e a nossa história”, afirma Danieli.

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário