Paulo Vicente Caleffi

Do pensamento e da paciência

Conheci o mais renomado jogador de xadrez do Brasil: Mequinho. Até joguei com ele no Clube Aliança de Bento Gonçalves e deu a lógica: perdi o jogo mas lutei vinte e cinco jogadas. O Mequinho pensava muito antes de fazer uma jogada e no que fazia era um gênio. De minha parte, perdia a paciência.

Aprendi que para fazer bem feito é necessário planejamento e, para tanto, pensar é fundamental. Hoje acredito que sou pago para pensar e, muitas vezes, parece que estou vagabundeando.

Na indústria aeronáutica, onde agora estou trabalhando, tudo é planejado com muita antecedência e quanto observo o corpo de engenheiros pensando, mais de trinta pessoas, nunca tenho certeza se estão voltados para os dirigíveis que fabricamos ou para outras razões. O que importa é a realização das tarefas.

Ouvi do Marcos Carbone, do CDL, que houve uma mudança no Colégio Aparecida e me pareceu muito positiva. Meu neto, o mais “bagunceiro”, seguidamente comunicava que havia passado uns minutos no “cantinho de pensar”, uma espécie de castigo pelas artes cometidas na escola. No meu tempo eu teria cadeira cativa de tanto que aprontava. Graças a Deus, deu no que deu.

A mudança foi apenas no nome do cantinho que passou de “cantinho de pensar” para “cantinho da paciência”. Acertada a decisão pois parecia que “pensar” era um castigo. Paciência também não é um castigo mas é sim uma virtude que precisa ser cultivada e muitos adultos não tiveram esta oportunidade.

Felizmente a Ana Júlia, o Bernardo, a Cecília, o Fernando, o Rafael e tantas outras crianças poderão ocupar aquele cantinho da sala e aprenderão a ter mais paciência com os adultos.

De minha parte vou continuar com meus pensamentos. É só ter paciência e o pensamento pode nos levar de um canto para outro do universo num instante. O bom é que numa mente limpa e livre só coisas boas acontecem.

Há vezes que me recuso a assistir os programas da GLOBO, especialmente as novelas que ferem meus princípios éticos e morais, e sinto minha mente com pensamentos mais positivos. Acontece que coisa ruim atrai coisa ruim.

Haja paciência!

Sobre o autor

Ranieri Moriggi

Ranieri Moriggi

geral3@jornalsemanario.com.br

Deixe um comentário